Bungee


 
Evento realizado recentemente no Miradouro de Santa Íria! O Porto Formoso tem potencial para tanta coisa! Basta querermos!

Comentários

Anónimo disse…
Alguém

"- Quem és?"
"- Não sei"
"- Não sabes?!"
... "- Não."
"- Como é que podes não saber?!"
"- Não sabendo."
"- Mas como?"
"- Assim... não sei."
"- Tens de saber quem és!"
"- Não, não tenho."
"- Porquê?"
"- Porque saber quem sou não me diz nada."
"- Como não diz nada? Diz-te quem és!"
"- E o que é ser?"
"- Ser... é ser alguém!"
"- Mas eu sou alguém, só não sei quem sou."
"- Não podes ser alguém sem saber."
"- Posso."
"- Como?"
"- Sendo."
"- Sendo o quê?"
"- Aquilo que sou."
"- Mas como podes ser o que és sem saber quem és?"
"- Posso não saber quem sou, mas saber o que sou."
"- O que és tu?"
"- Eu sou tudo aquilo que quiser ser."
"- Então sabes quem és."
"- Não, apenas sei o que sou."
"- E o que és?"
"- Sou tudo aquilo que quero ser."
"- Não percebo."
"- Não percebes porque não és o que queres."
"- Sou."
"- És o quê?"
"- Sou eu."
"- O que és tu?"
"- Uma pessoa."
"- Não és o que queres,
és o que fizeram de ti."

Anónimo disse…
Quem...?

Quem é que nunca teve uma incontrolável vontade de chorar?
Quem é que nunca sentiu um aperto no peito
Quem é que nunca lavou a face com lágrimas?
... Quem nunca é que chorou por.... Tudo ou por nada?
Quem é que nunca se calou, querendo gritar?
Quem é que nunca gritou quando se devia calar?
Quem é que nunca engoliu seco, e perdeu a fala?
Quem é que nunca segurou uma lágrima, e sorriu sem graça?
Quem é que nunca sentiu uma sensação de angústia?
Quem é que nunca teve uma incontrolável vontade de chorar?
Quem....?


Anónimo disse…
onde está o público
JASRAPOSO disse…
Identidade
Coração do tamanho
de uma ilha
Foi desde muito cedo que comecei a conhecer a “Ilha mais bonita” do Arquipélago dos Açores, tal como o meu pai (lhe) chamava a “sua” Ilha de S. Miguel.

Não me recordo mas a minha primeira viagem rumo a S. Miguel foi numa alcofa.

Desde sempre me apaixonei por aquele “sotaque” único, pela forma “acelerada” como falavam e como não entendiam que, para mim, Lisboeta, soava a uma língua nova. As brincadeiras entre dois “sotaques”, tão diferentes mas que expressavam as mesmas ideias, eram constantes. Aprendi a falar “Açoriano”, e todos os Verões, regressada das férias, vinha com o meu “sotaque” especial e, desde sempre, consigo imitá-lo quase na perfeição.

Lembro-me, com alguma saudade, dos verões passados na Praia dos Moinhos, no Porto Formoso, naquela praia pequenina onde o verão parecia demorar, sempre, mais tempo. Recordo-me do apito que, lá de cima, a minha avó “apitava” avisando que chegara a hora de ir para casa; mas que parecíamos não ouvir ...

Também me recordo das Furnas, do espectacular que foi ver um cordel, que parecia não ter fim, a sair da terra e surgir uma panela gigantesca repleta de alimentos cozinhados; do cheiro a milho cozido e, claro, do meu preferido, o cheiro a bolo levedo.

Lembro-me de ter provado, pela primeira vez, morcela com ananás, das deliciosas queijadas da vila, dos chicharros com molho de vilão e da deliciosa massa sovada. Os Açores têm mil e uma belezas e a gastronomia é, naturalmente, uma delas.

A Ilha de S. Miguel tem lugares únicos, como a lagoa das Sete Cidades que conta uma história de amor singular, os inúmeros trilhos que nos levam a lugares impares, as cascatas, as piscinas naturais de água do mar, a icónica piscina das Furnas onde somos convidados a mergulhar numa água férrea, escura e quente.

Mas, se tivesse de escolher um lugar único e especial, este e para mim, seria/será a lagoa do Fogo; uma lagoa que merece ser vista de noite e de dia, do cimo e/ou da base, pois é um lugar único e mágico, onde se consegue respirar tranquilidade e vislumbrar uma beleza de cortar a respiração.

Uma das minhas últimas visitas aos Açores ocorreu, há alguns anos, na companhia do meu pai à sua Ilha natal, S. Miguel e, então e mais uma vez, pude constatar quanto é agradável regressar a um lugar tão especial – onde passei alguns dos melhores verões enquanto criança – e, sobretudo, quando acompanhada por quem conhece a sua “primeira casa” como ninguém.

Acredito que somos cidadãos do mundo mas o nosso coração pertence, sempre e em especial, a certos e determinados lugares. A expressão “coração que não vê, não sente” não se aplica, de todo, a quem está/esteve longe do lugar que nos viu nascer. Acho que ganhamos a capacidade de viver todos os momentos à distância. No meu caso, à distância de um clique, o que não acontecia na época do meu pai. Uma época em que quando as cartas chegavam ao destino já muito tinha, entretanto, sucedido.

Apesar de ser “alfacinha de gema”, e de coração, tenho duas costelas especiais; uma Açoriana e outra Ribatejana. Nada nos enriquece mais do que viver, experimentar e conhecer outros lugares que não só aquele em que nascemos.

É com muito orgulho que tenho um pai Açoriano, de S. Miguel. Que continua a ser do Santa Clara, e que – mesmo sem (ele) dar por isso – continua, em certas palavras, a usar um “jeitinho” Micaelense.
Joana Sousa
Assistente de bordo na Emirates Dubai, ex-gestora de comunicação na TVI
Natural de Lisboa (filha de pai micaelense), residente no Dubai

Por este escrito podemos verificar que há muita gente por esse mundo fora que tem o Porto Formoso no coração
Anónimo disse…
AULA DE DIREITO


Uma manhã, quando nosso novo professor de "Introdução ao Direito" entrou na sala,

a primeira coisa que fez foi perguntar o nome a um aluno que estava sentado na primeira fila:

- Como te chamas?

- Chamo-me Juan, senhor.

- Saia de minha aula e não quero que voltes nunca mais! - gritou o desagradável professor.



Juan estava desconcertado.

Quando voltou a si, levantou-se rapidamente, recolheu suas coisas e saiu da sala.

Todos estávamos assustados e indignados, porém ninguém falou nada.



- Agora sim! - e perguntou o professor - para que servem as leis?...

Seguíamos assustados porém pouco a pouco começamos a responder à sua pergunta:

- Para que haja uma ordem em nossa sociedade.

- Não! - respondia o professor.

- Para cumpri-las.
- Não!

- Para que as pessoas erradas paguem por seus atos.
- Não!!

- Será que ninguém sabe responder a esta pergunta?!

- Para que haja justiça - falou timidamente uma garota.



- Até que enfim! É isso... para que haja justiça.

E agora, para que serve a justiça?

Todos começávamos a ficar incomodados pela atitude tão grosseira.

Porém, seguíamos respondendo:
- Para salvaguardar os direitos humanos...
- Bem, que mais? - perguntava o professor.
- Para diferençar o certo do errado... Para premiar a quem faz o bem...

- Ok, não está mal porém... respondam a esta pergunta:

agi corretamente ao expulsar Juan da sala de aula?...

Todos ficamos calados, ninguém respondia.

- Quero uma resposta decidida e unânime!

- Não!! - respondemos todos a uma só voz.

- Poderia dizer-se que cometi uma injustiça?

- Sim!!!
- E por que ninguém fez nada a respeito?

Para que queremos leis e regras

se não dispomos da vontade necessária para pratica-las?



- Cada um de vocês tem a obrigação de reclamar

quando presenciar uma injustiça. Todos.

Não voltem a ficar calados, nunca mais!



- Vá buscar o Juan - disse, olhando-me fixamente.



Naquele dia recebi a lição mais prática no meu curso de Direito.

Quando não defendemos nossos direitos

perdemos a dignidade e a dignidade não se negocia.

Anónimo disse…
SEM COMENTÁRIOS…NUM PAÍS EM CRISE!

45 000€, por dia. É obra!
Por dia...nada de confusões, por dia!!!.....

Ó meus Amigos, é que se as contas estão bem feitas, assim Senhor Presidente, vá lá cantar para a sua rua...12 assessores e 24 consultores para ouvirmos suas intervenções
tão pouco incisivas ???!!!...

45 mil euros por dia para a Presidência da República.

As contas do Palácio de Belém

O DN descobriu que a Presidência da República custa 16 milhões de euros por ano

(163 vezes mais do que custava Ramalho Eanes), ou seja, 1,5 euros a cada português.

Dinheiro que, para além de pagar o salário de Cavaco, sustenta ainda os seus

12 assessores e 24 consultores,

bem como o restante pessoal que garante o funcionamento da Presidência da República.

A juntar a estas despesas, há ainda cerca de um milhão de euros de dinheiro dos contribuintes que todos os anos serve para pagar pensões e benefícios aos antigos presidentes.

Os 16 milhões de euros que são gastos anualmente pela Presidência da República colocam o Presidente Cavaco Silva

entre os chefes de Estado que mais gastam em toda a Europa,

gastando o dobro do Rei Juan Carlos de Espanha (oito milhões de euros)

tendo sido apenas ultrapassado pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy (112 milhões de euros)

e pela Rainha de Inglaterra, Isabel II, que 'custa' 46,6 milhões de euros anuais.

E tem o senhor Presidente Cavaco Silva

a desfaçatez de nos vir dizer que -

"os sacrifícios são para ser 'distribuídos' por todos os portugueses"...

























Anónimo disse…
bom dia pessoal. tanto segredo sobre o candidato do PSD. o candidato é RUBEM ADRIANO .que grande futuro que o porto formoso vai ter com este senhor a frente da junta . tá bonito há pois tá . eu já estou a correr para ir votar neste senhor.
Anónimo disse…
ultima hora . vai haver mais um candidato há junta do porto formoso.pessoa bem vista na nossa terra .
Anónimo disse…
Onde foi que apareceu este último texto?? Conheço a Joana e sei bem do que ela fala!
aguia disse…
Os grandes amigos do PSD/CDS que temos no governo da república
Segundo os números que... :
Açores OE inicial 2012 -> 334.415.979 €
Açores OE rectificativo 2013 -> 319.274.499 € - 4,53 %
Madeira OE inicial 2012 ->233.019.668 €
Madeira OE rectificativo 2013 ->242.495.263 € + 4,07%
JASRAPOSO disse…
COISAS DO CORISCO…

1 – Acabou-se, pelo menos por alguns anos, o feriado religioso do Dia do Corpo de Deus e com ele a busca de uma nova data para o Império dos Moinhos.

Por muita felicidade, a escolha recaiu num fim-de-semana que coincide com o feriado nacional do 10 de Junho. Equivale isto a dizer que vamos ter três dias de festa, nos Moinhos.

É incrível e, simultaneamente, louvável que uma comunidade tão pequena consiga levar a cabo tão grande evento.

Imaginem que, a par do programa religioso e musical, há no Sábado as já célebres sopas à moda de Santa Maria e na Segunda-Feira churrasco. Só uma comunidade unida e destemida é capaz de por ombros uma festa desta envergadura. Parabéns aos promotores.

2 – É agradável ver as bermas e encostas de todas as estradas do Porto Formoso limpas e asseadas. Parabéns ao Governo e à Câmara Municipal.

3 – O crédito malparado atingiu nos Açores a bonita quantia de 300.000.000,00€. Só nos últimos três meses o valor foi de 6.000.000,00€

4 – O queijo de cabra branco já pode ser vendido, envolvido em folha de conteira.

5 – A situação que se vive nos Açores está a obrigar muitos jovens a emigrar, com descrença em voltar ao berço materno.

6 – O Governo Regional criou um programa para ocupar as pessoas desempregadas e os recebedores do Rendimento Mínimo. Uma boa oportunidade para a Câmara da Ribeira Grande fazer alguma obra no concelho. Sigam o exemplo da Lagoa.
Anónimo disse…
Sim, é muito triste ter que ver os jovens do porto formoso a ter que emigrar, uma vez que acho que nunca teve tantos jovens a estudar na faculdade e com ensino superior
Anónimo disse…
A geração que fez o 25 de Abril era filha do outro regime. Era filha da ditadura, da falta de liberdade, da pobre e permanente austeridade e da 4.ª classe antiga.

Tinha crescido na contenção, na disciplina, na poupança e a saber (os que à escola tinham acesso) Português e Matemática.

A minha geração era adolescente no 25 de Abril, o que sendo bom para a adolescência foi mau para a geração.

Enquanto os mais velhos conheceram dois mundos – os que hoje são avós e saem à rua para comemorar ou ficam em casa a maldizer o dia em que lhes aconteceu uma revolução – nós nascemos logo num mundo de farra e de festa, num mundo de sexo, drogas e rock & roll, num mundo de aulas sem faltas e de hooliganismo juvenil em tudo semelhante ao das claques futebolísticas mas sob cores ideológicas e partidárias. O hedonismo foi-nos decretado como filosofia ainda não tínhamos nem barba nem mamas.

A grande descoberta da minha geração foi a opinião: a opinião como princípio e fim de tudo. Não a informação, o saber, os factos, os números. Não o fazer, o construir, o trabalhar, o ajudar. A opinião foi o deus da minha geração. Veio com a liberdade, e ainda bem, mas foi entregue por decreto a adolescentes e logo misturada com laxismo, falta de disciplina, irresponsabilidade e passagens administrativas.

Eu acho que minha geração é a geração do “eu acho”. É a que tem controlado o poder desde Durão Barroso. É a geração deste primeiro-ministro, deste ministro das Finanças e do anterior primeiro-ministro. E dos principais directores dos media. E do Bloco de Esquerda e do CDS. E dos empresários do parecer – que não do fazer.

É uma geração que apenas teve sonhos de desfrute ao contrário da outra que sonhou com a liberdade, o desenvolvimento e a cidadania. É uma geração sem biblioteca, nem sala de aula mas com muita RGA e café. É uma geração de amigos e conhecidos e compinchas e companheiros de copos e de praia. É a geração da adolescência sem fim. Eu sei do que falo porque faço parte desta geração.

Uma geração feita para as artes, para a escrita, para a conversa, para a música e para a viagem. É uma geração de diletantes, de amadores e amantes. Foi feita para ser nova para sempre e por isso esgotou-se quando a juventude acabou. Deu bons músicos, bons actores, bons desportistas, bons artistas. E drogaditos. Mas não deu nenhum bom político, nem nenhum grande empresário. Talvez porque o hedonismo e a diletância, coisas boas para a escrita e para as artes, não sejam os melhores valores para actividades que necessitam disciplina, trabalho, cultura e honestidade; valores, de algum modo, pouco pertinentes durante aqueles anos de festa.

Eu não confio na minha geração nem para se governar a ela própria quanto mais para governar o país. O pior é que temo pela que se segue. Uma geração que tem mais gente formada, mais gente educada mas que tem como exemplos paternos Durão Barroso, Santana Lopes, José Sócrates, Passos Coelho, António J. Seguro, João Semedo e companhia. A geração que aí vem teve-nos como professores. Vai ser preciso um milagre. Ou então teremos que ressuscitar os velhos. Um milagre, lá está.

Pedro Bidarra

Publicitário, psicossociólogo e autor

O Regedor disse…
Nas redes sociais não param de surgir fotos do tubarão inofensivo e em vias de extinção que alguns populares apanharam e mataram à paulada, quando o animal estava no interior do porto da Povoação.

Este tubarão não ataca humanos e está em vias de extinção e foi morto, repito, à paulada em pleno cais.

Quer me parecer que um dia que apareça um destes pela nossa terra de Porto Formoso, as nossas gentes irão fazer tudo para levá-lo de volta ao mar alto e não agir como animais.

Cumprimentos
O Regedor disse…
Estão quase a chegar as belíssimas Sopas à moda de Santa Maria do Império dos Moinhos. É sábado às 2030. A não perder!
Anónimo disse…
Muito bem dito sr regedor,já que falou no império,quero salientar as belíssimas prestações dos impérios dos calços e do outeiro, estão de parabéns,fizeram umas festas consoante as suas poses e dignificaram o porto formoso,contudo o ponto negativo foi mesmo a nossa junta de freguesia não dar um único cento para estes impérios, promoveram a nossa freguesia,trouxeram muita gente de fora e quem tem poses para ajudar não ajuda,e mais digo se não pudesse dar o que dava nos outros anos desse menos mas desse. abraço Mordomos
O Regedor disse…
Não pude estar presente em nenhum dos impérios até agora. O primeiro que posso estar presente é o dos Moinhos e lá estarei amanhã. Os impérios do Porto Formoso nos últimos anos têm melhorado bastante em todos os aspectos. Lembro-me perfeitamente de uma fase em que pareciam que iam desparecer, mas agora estão mais fortes que nunca.
Julgo que este ano será o melhor Império dos Moinhos de sempre: bom programa, bom tempo e 4 dias de festa!
Anónimo disse…
bolas a junta tem de dar para tudo. ja não bastou a carrinha toda a senama por conta do imperio do outeiro .
Anónimo disse…
3 militantes do Psd do Porto Formoso marcaram presença na apresentação do Alexandre Gaudêncio a presidente da câmara. Força PSD

http://www.flickr.com/photos/95591193@N08/8958556934
Anónimo disse…
Caro anonimo das 18:15 lá por veres 3 pessoas do Porto Formoso na foto não significa que tenha estado somente estes trés e garanto-te que estiveram mais porque também lá estive! Bem haja !
Anónimo disse…
parece que vamos ter uma luta a trez para junta .CDS .vai apresentar candidato há junta do porto formoso .
Anónimo disse…
Para lá dos cerca de 300 elementos da PSP, que visavam assegurar a segurança das principais figuras do Estado português, nas comemorações do 10 de Junho, que ontem tiveram lugar em Elvas, do outro lado da fronteira estava também montada uma operação policial por forma a reforçar a segurança do Governo e do Presidente da República, Cavaco Silva, adianta a edição desta terça-feira do jornal i.

A informação foi confirmada pela própria polícia espanhola, que, contudo, não precisou quantos homens foram destacados para o dispositivo de protecção.

Refira-se que a dimensão do contingente da PSP que marcou presença na cidade alentejana foi tão grande quanto aquele preparado para a celebração do mesmo feriado em 2012, que decorreu em Lisboa.

Ora, atendendo às “dimensões de Elvas, manter o efectivo mobilizado, no ano passado, para a capital significa reforçar a segurança”, realça fonte policial em declarações ao i.

Apesar do zelo face ao risco de ameaça, os incidentes que se registaram não foram além de apupos e gritos dirigidos ao primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e a Cavaco Silva.

JASRAPOSO disse…
COISAS DO CORISCO….

1 – A Câmara Municipal da Ribeira Grande adquiriu uma máquina de limpeza de praias que já trabalha nos Moinhos.

2 – Os CTT fecharam a sua estação de serviço na Maia

3 – O Dr. Alexandre Gaudêncio apresentou a sua candidatura à presidência da Câmara da Ribeira Grande no Teatro daquela cidade, o Dr. Ricardo Silva fê-lo na Vila de Rabo de Peixe. Duas gerações diferentes a lutarem pelo mesmo lugar. É pena que o Dr. Alexandre Gaudêncio também não tenha apresentado um candidato da sua geração a liderar a lista â Assembleia Municipal. Pelo lado do P.S. vai o Dr. José do Rego.

4 – Terminaram as festas dos Moinhos. Como é possível fazer tanto com tão poucos recursos?

A par do programa religioso, houve uma parte musical e ainda muita comida e bebida.

No Sábado à noite o Vale Formoso estava cheio de forasteiros para saborearem as sopas à moda de Santa Maria. Lá estavam nove panelas, aquecidas a achas, com muita sopa. Aquilo mais parecia o milagre da multiplicação dos pães. Quanto mais sopa se tirava, mais ficava nas panelas. Toda a gente ficou saciada e ainda cresceu comida.

Na Segunda-Feira repetiu-se a dose, mas desta vez com sardinha assada, chouriço, morcela e bifanas.

Nunca se viu nada parecido com isto pelas bandas dos Moinhos.
Anónimo disse…
Um retrato real de um país cada vez mais surreal…



CARTA AOS 19%
(Ricardo Araújo Pereira)

Caro desempregado,
Em nome de Portugal, gostaria de agradecer o teu contributo para o sucesso económico do nosso país. Portugal tem tido um desempenho exemplar, e o ajustamento está a ser muito bem-sucedido, o que não seria possível sem a tua presença permanente na fila para o centro de emprego. Está a ser feito um enorme esforço para que Portugal recupere a confiança dos mercados e, pelos vistos, os mercados só confiam em Portugal se tu não puderes trabalhar. O teu desemprego, embora possa ser ligeiramente desagradável para ti, é medicinal para a nossa economia. Os investidores não apostam no nosso país se souberem que tu arranjaste emprego. Preferem emprestar dinheiro a pessoas desempregadas.
Antigamente, estávamos todos a viver acima das nossas possibilidades. Agora estamos só a viver, o que aparentemente continua a estar acima das nossas possibilidades. Começamos a perceber que as nossas necessidades estão acima das nossas possibilidades. A tua necessidade de arranjar um emprego está muito acima das tuas possibilidades. É possível que a tua necessidade de comer também esteja. Tens de pagar impostos acima das tuas possibilidades para poderes viver abaixo das tuas necessidades. Viver mal é caríssimo.
Não estás sozinho. O governo prepara-se para propor rescisões amigáveis a milhares de funcionários públicos. Vais ter companhia. Segundo o primeiro-ministro, as rescisões não são despedimentos, são janelas de oportunidade. O melhor é agasalhares-te bem, porque o governo tem aberto tantas janelas de oportunidade que se torna difícil evitar as correntes de ar de oportunidade. Há quem sinta a tentação de se abeirar de uma destas janelas de oportunidade e de se atirar cá para baixo. É mal pensado. Temos uma dívida enorme para pagar, e a melhor maneira de conseguir pagá-la é impedir que um quinto dos trabalhadores possa produzir. Aceita a tua função neste processo e não esperneies.
Tem calma. E não te preocupes. O teu desemprego está dentro das previsões do governo. Que diabo, isso tem de te tranquilizar de algum modo. Felizmente, a tua miséria não apanhou ninguém de surpresa, o que é excelente. A miséria previsível é a preferida de toda a gente. Repara como o governo te preparou para a crise. Se acontecer a Portugal o mesmo que ao Chipre, é deixá-los ir à tua conta bancária confiscar uma parcela dos teus depósitos. Já não tens lá nada para ser confiscado. Podes ficar tranquilo. E não tens nada que agradecer.


Anónimo disse…
Um jovem Angolano, advogado recém-formado, montou um luxuoso escritório num
prédio de alto padrão na Avenida 4 de Fevereiro em Luanda, e colocou na porta
uma placadourada:

Dr. António Soares - Especialista em Direito Tributário.

No 1º dia de trabalho, chegou bem cedo, vestindo o seu melhor fato,
sentou-se atrás de sua escrivaninha, e ficou aguardando o primeiro cliente.
Meia hora depois batem à porta.
Ele pede para a pessoa entrar e sentar-se, rapidamente apanha o telefone do gancho
e começa a simular uma conversa:

- Mas é claro, Sr. Mendonça, pode ficar tranquilo! Nós vamos ganhar essa
causa! O juiz já deu parecer favorável!...
- Sei, sei... Como ? Ah, os meus honorários? Não se preocupe! O senhor pode
pagar os outros 50 mil na semana que vem!...
- É claro!... O que é isso, sem problemas!... O senhor me dá licença agora
que eu tenho um outro cliente aguardando... Obrigado... Um abraço!
Bate o fone no gancho com força e diz:
- Bom dia, o que o senhor deseja?
- Eu vim instalar o telefone... >

Anónimo disse…
EU OUVI….
Assunto: OE-2013 em Espanha
O 1º Ministro de Espanha em declarações à TVE, sobre a apresentação do OE-2013, referindo-se aos reformados, disse:
– ... "A primeira prioridade é tratar os pensionistas da melhor maneira possível.
A minha primeira instrução ao ministro das Finanças é de que as pessoas que não se devem prejudicar são os pensionistas.
No Orçamento de Estado deste ano só há dois sectores que sobem: os juros da ...dívida e as pensões.
Não tenho nenhum interesse e se há algo que não tocarei são as pensões.
Rajoy sublinhou que o pensionista é a pessoa mais indefesa , que tem a situação mais difícil,
porque não pode ir procurar outro posto de trabalho aos 70 ou 80 anos, tendo uma situação muito mais difícil"...

Fim de citação.
**************************************************

ESTA É A DIFERENÇA ENTRE UM ESTADISTA
E UM GAROTÃO QUE NUNCA TRABALHOU NA VIDA !!! NEM SABE O QUE ELA CUSTA !!!





JASRAPOSO disse…
COISAS DO CORISCO…

1 – É já no próximo Sábado que terão lugar, na Canada das Gentes, as Sopas de S. João.

Aqui a situação é diferente dos outros lugares. As senhoras cozinham os vários pratos que são colocados à disposição dos convidados. É um autêntico open table. Podemos saborear desde os chicharros, ao polvo, à carne guisada ou assada, ao frango de churrasco, à batata cozida com pimenta, à fava-rica, ao arroz doce, à massa sovada, etc.

Tudo isto regado com cerveja a copo, vinho e refrigerantes.

Encontro a não perder.

2 – Começou este fim-de-semana a época balnear, que se estenderá até ao próximo dia 15 de Setembro.

A Praia dos Moinhos vai ter de contentar-se com o galardão de Praia Acessível, graças ao pouco esforço desenvolvido pela sociedade municipal Ribeira Grande Mais. Agora os investimentos nessa área vão todos para o areal de Santa Bárbara. Seria bom que o Dr. Ricardo Silva se recordasse do que afirmou, aquando da campanha eleitoral, sobre o que iria fazer nos Moinhos.

3 – Em virtude do Trilho do Chá estar encerrado, os Amigos dos Açores irão substitui-lo, no passeio do próximo Sábado, por uma ida à Coroa da Mata.
aguia disse…
esta já sabias?

ESSE CÁLCULO MATEMÁTICO É MUITO LOUCO (MAS DÁ CERTO!!!)



Você sabia que o tamanho de seu sapato pode dizer a sua Idade??? Não???
É só fazer as contas.
Pegue o número do seu sapato multiplique por 5 some 50 multiplique por 20 some 1012 diminua o ano de seu nascimento.
Os dois primeiros dígitos é o número do seu sapato.
E os dois últimos dígitos é a sua Idade, antes do seu aniversário de 2013. Verifiquem!!! É SINISTRO!!!!
aguia disse…
O autarca ribeiragrandense, Ricardo Silva, aproveitou a oportunidade para manifestar a sua tristeza pelo facto da praia dos Moinhos, no Porto Formoso, não ser considerada praia de Bandeira Azul, não obstante candidatura realizada para o efeito. Ricardo Silva referiu ainda que “a não atribuição do galardão de qualidade não se prendeu com critérios de qualidade de água e condições de segurança e apoio aos banhistas, mas sim com licenciamentos de obras envolventes, que em nada têm a ver com a praia dos moinhos”. O presidente da autarquia desafiou as entidades regionais competentes, na rápida e eficaz resolução desta situação, de modo que a Ribeira Grande possa alcançar, já no próximo ano, mais uma praia de bandeira azul.

Extracto de uma noticia do site da CMRG
Anónimo disse…

Ouvi dizer que a Adelina Rebelo sera a candidata pelo Psd....sera mesmo verdade? Pelo menos não se esconde no buraco como o Adriano.
O Regedor disse…
Tal como o conhecido blog "O jumento" faz em relação a Pedro Passos Coelho, talvez A Casa da Mosca possa fazer em relação a Ricardo Silva, isto é: criar uma lista das promessas não cumpridas!

Contudo, talvez fosse boa ideia criar duas outras listas: a das promessas repetidas e lista das desculpas esfarrapadas.

Pelo comunicado da CMRG o presidente Ricardo Silva encontra-se triste pelo facto de a Praia dos Moinho não ter, mais uma vez, o galardão da Bandeira Azul.
Agradeço ao blogger aguia por me ter colocado um sorriso no rosto com esta notícia. E mais, acrescenta que para o ano que vem é que é. Mais ainda, que a culpa agora já não é de não haver balneários, nem da qualidade da água... a culpa, este ano, é das "obras envolventes"!!!!

Até quando irão tratar-nos como se fôssemos completamente estúpidos, iletrados, ignorantes?
Anónimo disse…
O candidato ao PSD será eventualmente o Rubem Adriano, uma coisa é certa, quando foi colocado o nome dele nesse bloque houve um certo sujeito que calou-se e nunca mais deu sinal de vida. porque sera!!!??
JASRAPOSO disse…
COISAS DO CORISCO….

1 – Terminaram as festas em honra de S. João, na Canada das Gentes. Foi uma alegria ver novos e graúdos, residentes e forasteiros a saborearem os deliciosos manjares cozinhados pelas gentes daquela zona.
Um dos custos daquela festa são os pratos e os talheres descartáveis. Ora, não é que um nosso emigrante, que estava lá presente, se prontificou a enviar dos Estados Unidos da América uns pratos adequados. Mais um problema resolvido.

Agora é esperar pelas festas de S. Pedro.

2 – O actual pároco irá deixar a nossa freguesia nos meados de Agosto, já não participando, por isso, nas festas de Nossa Senhora da Graça.

3 – Os Amigos dos Açores estão a estudar a hipótese de substituir o Trilho do Chá por um outro que comece no Coroa da Mata e termine na Roça do Louro
Anónimo disse…
ele anda muito feliz da vida .
Anónimo disse…
eu gostava de saber porque o regedor não tem colocado os varios comentarios que tenho feito será é prque tenho dito a verdade sobre o candidato do ps será que ele já sabe quem vai ser o secretário(a)é que o povo fala mal de uma que nada FEZ e quando seuberem quem é a outra isso a vai ser de rir eu já tenho dito evaristo toma lá isto

Mensagens populares deste blogue

Águas Medicinais da Ladeira da Velha

Trilhos pedestres no Porto Formoso, onde?