2015/07/28

Praia dos Moinhos é a melhor de São Miguel, goste-se ou não!

Este verão a praia dos moinhos tem batido recordes de afluência. A qualidade da praia e o seu magnífico enquadramento, como que abençoada pela mãe Natureza, a isso ajuda. Mas este ano há mais factores a ajudar, como sejam, o tempo estar quase sempre encoberto na costa sul da ilha, enquanto no norte está sol e o fato de estarem a aparecer frequentemente águas-vivas nas praias mais movimentadas do sul, enquanto ainda não se viu uma água-viva na praia dos moinhos.
Com as novas tecnologias, as pessoas, desejosas de apanhar sol, vão à internet ver onde está sol e onde há águas-vivas e então decidem para onde vão. Ao depararem-se com a realidade, decidem vir para os lados do norte da ilha.
A Natureza tudo deu à praia dos moinhos – considerada por uma maioria a melhor praia da ilha!
Felizmente que assim é, porque se a evolução/preservação da praia dos moinhos fosse depender das entidades públicas, veríamos a praia transformada numa piscina de quintal.
Há uns anos atrás, antes da construção dos balneários novos, havia alturas em que a Câmara Municipal nem se dignava a colocar caixotes de lixo na praia e quando o fazia, a sua recolha e limpeza era deficitária. Os balneários eram miseráveis e ficavam partidos sem reparação quando o mar ou alguém os destruíam. Os nadadores salvadores da praia ficavam com os “restos” de material que sobrava depois do bom e do melhor ser entregue no areal de Santa Bárbara e nas piscinas municipais. Isto, já numa altura em que a praia era das mais frequentadas da ilha.
Outro exemplo de incompetência foi a promessa, realizada pelo anterior executivo camarário, da construção de um parque de campismo. Num primeiro mandato nada se fez em relação a isso. Não contente com a falta à promessa, esse político volta a prometer o mesmo para um segundo mandato. Resultado: nada fez… novamente. Até hoje nada se fez quanto a isso. Aliás, fez-se qualquer coisa: umas retretes (desculpem, mas não podem ter outro nome) e uns chuveiros mal-amanhados no meio do pasto que serve de parque de campismo.
Contudo, havia um trunfo na manga: construir uns novos balneários. Inaugurados com pompa, circunstância e protesto, foram um regalo para os olhos dos amantes da arquitectura “bunker” alemã, mas uma desilusão para os utilizadores. Hoje em dia é possível verificar que os banhistas já nem recorrem ao duche, porque sabem que só existe um e teriam de esperar na fila durante longos minutos à espera de vez. Ainda há muitas pessoas que resistem, em pé, à espera da vez. O outro dia, uma família com o pai, mãe e dois filhos, colocaram-se dentro do chuveiro para tomar banho e trocar de roupa ficando cerca de 45 minutos a ocupar o espaço. Imaginem a fila que ficou à porta, sem contar com as desistências. Com esta obra a custar 500 mil euros, ficamos com um chuveiro para homens e outro para mulheres. Sim, porque os dois do exterior não permitem a utilização de champô.
Outra demonstração da incompetência dos órgãos públicos em potencializar a praia dos moinhos fica demonstrada com o fato de, passados todos estes anos, não conseguirem resolver a não atribuição da bandeira azul. Essa incompetência é agravada pelo fato alegarem que a razão se prendia com a qualidade da água, quando – consigo prova-lo – essa não é a verdadeira razão para tal.
As entidades públicas competentes também em nada ajudaram a praia em alguns casos de obras particulares ilegais, às quais fecharam os olhos, não agindo de acordo com a lei.
O desleixo é tanto que os lavadouros públicos, na descida para a praia, estavam com falta de telhas durante anos a fio sem que a câmara ou junta se dignassem a mandar colocar quatro ou cinco telhas, protegendo o forro do apodrecimento.
Disseram-me uma vez que havia um desprezo invejoso por aquela praia ficar no Porto Formoso e não na Ribeira Grande, fazendo-se de tudo para promover o areal de Santa Bárbara e as piscinas municipais em detrimento de investir para os lados do norte. Veja-se o investimento realizado na remodelação total das piscinas municipais, construção de bar/restaurante e inúmeros eventos na perigosa praia de Santa Bárbara, tudo financiado com dinheiros públicos. Será que é mesmo assim?
Pois este ano as coisas parecem continuar iguais. Sem bandeira azul, sem parque de campismo, sem interesse, diria. Ainda no passado fim-de-semana, foi ver os balneários da praia de Santa Barbara e das piscinas municipais, limpos, como um brinco, e os da praia dos moinhos a cheirar mal e todos sujos a meio da tarde e cuidado: aquilo fecha mesmo às 19h em ponto, nem mais um segundo, não vá alguém ficar fechado lá dentro.

Pode-se dizer, sem errar muito, que a única coisa importante ali realizada pelas entidades públicas em todos estes anos foi o parque de estacionamento.
Mesmo votada ao abandono e ao desleixo, a praia resiste e conquista cada vez mais frequentadores. Mesmo que as entidades públicas nada façam, esta praia continuará a ser sempre muito frequentada porque é uma bênção da Natureza e porque esta é a melhor praia da ilha de São Miguel!

2015/07/06

Demissão

Os elementos da lista do PSD à Junta de Freguesia do Porto Formoso demitiram-se em bloco das suas funções na Assembleia de Freguesia, onde estavam a representar os eleitores portoformosenses que neles haviam votado nas últimas eleições.
São alegadas "razões pessoais" para o não cumprimento do mandato até ao fim.

Julgo, ou melhor tenho a certeza, que isto é uma situação inédita no Porto Formoso. Nunca todos os elementos eleitos de um partido se demitiram das suas funções para onde haviam sido eleitos, renegando aos votos daqueles que neles confiaram.
Neste momento não existe conhecimento de motivos para além dos invocados pelos 4 elementos que o PSD que assim abandonam as suas funções, isto é, "razões pessoais".
A Presidente da Assembleia de Freguesia deverá, agora, convidar os próximos 4 elementos da lista do PSD a assumirem funções. Veremos se aceitam o lugar para o qual foram a votos. Caso contrário, a Assembleia de Freguesia fica a funcionar apenas com elementos do PS.

2015/05/11

A chuva

Juntar chuva em demasia e  Porto Formoso nunca deu bom resultado. Todos sabemos de várias sitiuações graves que ocorreram ao longo da história da freguesia devido ao excesso de pluviosidade. Hoje, dia 11 de Maio de 2015, choveu demais e o resultado foi este:


2015/04/24

Porto a 1200 Km

É esta a distância que tem estado o Porto de mim. São fases dizem, mas esta tem sido longa e irá aumentar para 8000 Km em breve, por um mês. A distância física e emocional tem-se instalado de uma forma assustadora e quando longe do Porto, longe fico do interesse de escrever nesta casa. Não vale a pena disfarçar com posts menores, coisas sem significado que os leitores notam logo: seria hipócrita comigo e com os outros.
Duas coisas, porém, “ligaram-me” à terra ultimamente.
A primeira tem a ver com a ida de 4 jovens atletas de ténis de mesa do CUDPF aos campeonatos. Que prazer em vê-los vestidos a rigor em conjunto com os treinadores e dirigentes preparados para irem disputar a mais importante prova nacional ao continente!

A segunda foi as Crónicas da Atlântida, um projecto de António Luís Campos, respeitado fotojornalista da National Geographic Portugal, ter uma foto no Porto. O homem viaja por todo o mundo a tirar fotos nos sítios mais distantes, mas naquela noite, a jantar em minha casa na Páscoa de 2014, o António perguntou-me onde poderia tirar umas fotos relacionadas com pesca e pescadores. Ele já me parecia com a cabeça feita para ir a Rabo de Peixe. Disse-lhe que já havia milhares de fotos de Rabo de Peixe e convenci-o a ir fotografar para o Porto Formoso. Lá foi ele, apanhou um barco às tantas da manhã e adorou.
  

Porto Formoso | São Miguel

A faina começa ainda de noite, a madrugada surge já no mar alto… Foi uma manhã sombria para Mestre Eugénio: o entusiasmo dos homens esmorecia à medida que as armadilhas de fundo eram recolhidas, hora após hora, quase vazias. Para complicar, um outro conjunto havia-se perdido, e nem mesmo os muitos pares de olhos, varrendo o horizonte, encontraram sinal das bóias sinalizadoras.
 
Assim, vai esta casa andando até, talvez, o magnífico verão portoformosense trazer consigo o Km zero!

E-mail

acasadamosca@yahoo.com

Agenda

Início de Colheita - Chá Porto Formoso | 2 de Maio

Lido e percebido

"Onde está a minha terra? com o seu cheiro do mar misturado com o do trigo...que a brisa trazia da "ponte" até ao meu "jardim" onde me deliciava com a conversa do "tio evaristo"???...Está tudo tão perto da minha alma pois tudo faz parte do meu ser... Foi neste Porto Formoso que nasci, cresci e saí ficando para sempre.", comentário colocado por um anónimo no post Esclarecimentos em 14/02/2008

Últimos posts

Locations of visitors to this page