2008/01/30

Mais uma vez...


Uma família no Porto Formoso foi desalojada e perdeu todos os bens devido às chuvas intensas que se fizeram sentir na ilha de São Miguel.Maria de Lurdes Botelho, proprietária da habitação, explica que a água invadiu a residência a partir das 4h00, através das janelas e porta principal, atingindo um metro de altura no interior da residência, conforme se pode constatar pela linha de água na parede e mobiliário.Na residência vivem três pessoas idosas, entre os 56 e 65 anos, sendo que um irmão de Maria Lurdes Botelho, “está paralítico há cinco anos”, e viveu momentos de grande aflição quando a água começou a subir no interior da residência.A Secretaria Regional da Habitação e Equipamentos emitiu, entretanto, um comunicado a assegurar alojamento temporário a esta família.A nota emitida prometida pelo Governo Regional referia que já se procedeu ao “levantamento dos trabalhos a efectuar na sua moradia com vista à reposição das necessárias condições de habitabilidade”. (fonte da foto e do texto: Luis Pedro Silva, Açoriano Oriental).
Segundo a Sra. Maria de Lurdes os Bombeiros da Ribeira Grande não fizeram tudo o que podiam para acudir de imediato à tragédia.Mais uma família que fica com os seus bens todos estragados. É a segunda em cerca de dois meses.

2008/01/28

Quem te viu e quem te vê

Casa do Povo (foto sem data, talvez tenha sido tirada por volta de 1960)


A 30 de Dezembro de 2006 foi publicada uma entrevista no jornal Açoriano Oriental (ver aqui) ao presidente da Casa do Povo do Porto Formoso, na qual se previa que a abertura a concurso público em Fevereiro de 2007 da obra de recuperação daquela casa, orçamentada em 300 mil euros.
Pois bem, estamos a entrar em Fevereiro de 2008 e, um ano depois, não houve qualquer concurso público. Entretanto, quem fica a perder é a população.
Aqui fica uma foto da Casa do Povo de antigamente, para que haja memória de uma das casas mais bonitas do Porto Formoso e que hoje, por culpa de muitos, está transformada numa ruína.

2008/01/16

Loja do Viana

Sr. Laudalino Viana

interior da loja

Com alvará de 1984, esta é a mais nova das últimas lojas antigas do Porto Formoso.
Abriu portas por volta de 1982, tendo sido gerida pelo Sr. José Viana "velho", Sr. Eusébio Viana "novo" e, nos últimos anos, pelo Sr. Laudalino Viana.
Foi durante muitos anos o ponto de referência dos habitantes da zona dos Moinhos, que, devido ao seu isolamento, encontravam ali um porto de abrigo. Servia de mercearia de bens essenciais, de taberna e foi durante longos anos o único estabelecimento comercial de porta aberta a servir a zona da Ribeira Seca, Vale Formoso e Moinhos. Se faltavam cargas para o rádio ou sal para temperar a comida, os habistantes destas zona ali se dirigiam em vez de subirem o arrebentão para ir à freguesia.
É o unico sítio onde se pode jogar um dominó ao balcão à moda antiga. De Inverno parece uma toca abrigada do frio, de Verão as escadas exteriores e a rua transformam-se em esplanada. Devido ao facto de estar perto da praia e do campo e, ao mesmo tempo, longe da freguesia, esta loja sempre teve características diferentes de todas as outras.

Esta casa fecha as portas nos próximos tempos.
Com esta loja a fechar e com o fecho anunciado da loja do Sr. José "Plora", acabam-se todas as lojas antigas do Porto Formoso. Infelizmente, dentro de pouco tempo, só restarão fotografias e memórias de outros tempos.
A visitar... enquanto é tempo!

2008/01/03

Neste blog é proibido fumar


A lei cumpre-se por terras de Porto Formoso. Durante o dia de ontem tive a possibilidade de verificar o impensável à uns anos atrás: vi todos os cafés por onde entrei sem fumo e vi as pessoas a virem à rua fumar. Enfim, homens de barba rija, fumadores de décadas a sairem dos cafés e a apanhar frio na rua para poderem fumar!
Como todos os cafés do Porto Formoso são relativamente pequenos, segundo a lei, a partir de agora em todos eles é proibido fumar.
Uma lei que promete mudar a vida dos cafés... e das pessoas.

E-mail

acasadamosca@yahoo.com

Agenda

Início de Colheita - Chá Porto Formoso | 2 de Maio

Lido e percebido

"Onde está a minha terra? com o seu cheiro do mar misturado com o do trigo...que a brisa trazia da "ponte" até ao meu "jardim" onde me deliciava com a conversa do "tio evaristo"???...Está tudo tão perto da minha alma pois tudo faz parte do meu ser... Foi neste Porto Formoso que nasci, cresci e saí ficando para sempre.", comentário colocado por um anónimo no post Esclarecimentos em 14/02/2008

Últimos posts

Locations of visitors to this page