« Home | Heráldica de Porto Formoso » | A educação » | A minha avó vai matar as galinhas? » | Maldita estrada » | FÓRUM AUTÁRQUICAS III - sábado (dia 5) à noite tom... » | Assim foi o chá das 3! » | Fim da crise sísmica? » | FÓRUM AURTÁQUICAS II - a recta final » | Propostas a serem entregues às listas candidatas » | Pub »

La Revancha de las TASCAS

Há bem pouco tempo, só existiam 6 tascas/cafés no Porto Formoso.

Agora existem 10 tascas/cafés no Porto Formoso: Snack Bar O Moinho, Viana, Alvarinho, O Amaral, Carlos Teixeira, Cantinho do Cais (Jorge), Beira Mar (José Luís), Roberto (antigo Sebastião), Mestre João, José Plora!

Perspectiva-se a abertura de mais 2! Um no Coucinho e outro no Outeiro.

Ficarão 12! O que dá uma média de 1 tasca/café por 100 habitantes.

Viva concorrência!

tanto investimento em tascas, admiro as pessoas que têm vontade de investir na sua freguesia, mas porque não fazer uma coisa diferente, um novo conceito de bar/restaurante???? Então não admira que cada vez mais os jovens e os menos jovens passem menos em casa, a tasca é um modo de ocupação... é triste muito triste...

O ke era importante ter no porto formoso era uma carsa de "meninas"

Não está propriamente relacionado com as tascas, mas aproveito para divulgar que nos dias 25, 26 e 27 deste mês (das 14h às 22h) o Banco Alimentar Contra a Fome de São Miguel promove mais uma campanha de recolha de alimentos junto das superfícies comerciais espalhados por vários pontos na ilha.
Esta acção vem na sequência de mais uma campanha Nacional de Natal de Recolha de Alimentos, pelos Bancos Alimentares Contra a Fome Portugueses.
Contribua e "alimente esta ideia".

Penso que as tascas existentes não vão sobreviver todas. Umas vão ter de fechar as portas, mudando de ramo de actividade, etc.
O que acho ser mais preocupante é que todas as tascas são a repetição umas das outras. São todas parecidas. É triste ter 12 tascas iguais!!!
Uma podia ser estilo rustico, outra rafeira, outra de moderna, outra esplanada, outra estilo antiga tasca de freguesia e seria muito melhor.

Do Porto safam-se o Sr. Laudalino Viana issso sim uma tasca digna desse nome, com petiscos e companhia! O Mestre João para a malta mais nova e a maravilhosa tasca típica José Plora. Tasca de uma antiguidade preciosa que nunca devia acabar.
Falta um café de qualidade no Porto virado para o turismo.

O Rally

Penso que o Regedor tem sabiamente escolhido os temas e os “timings” deste blog. Nunca me daria ao luxo, de sugerir um assunto para ser discutido na casa “Casa da Mosca”! Vamo-nos adaptando, umas vezes a comentar, outras a “chocalhar”, como diria a Gulantina.

Como o número de tascas são dez, com boas perspectivas de se chegar á dúzia, gostaríamos de propor uma actividade desportiva inédita no Porto Formoso, um Rally das Tascas.
Como em épocas passadas (na universidade) já pratiquei esta modalidade, gostaria de deixar aqui umas dicas que poderão interessar aos potenciais organizadores e participantes do rally.

Com um número máximo de seis elementos, as equipas participantes poderão ser mistas. Não sendo obrigatório ir aos treinos.

As equipas têm a obrigatoriedade de se deslocar a pé. O único carro que entra no rally é o carro vassoura, da organização, para dar boleia aos desistentes.

Os concorrentes têm de obrigatoriamente tomar uma bebida em cada tasca. Onde lhes será entregue um envelope, com um questionário, que deverá ser entregue, devidamente preenchido, ao elemento da organização, que os aguarda na tasca seguinte.

O rally deve ser efectuado no sentido José Plora – Viana, para se poder improvisar um vomitório no gradeamento da ponte da ribeira dos moinhos e os brindes finais terem a praia como pano de fundo.

Este regulamento pode ser sobriamente melhorado.
Vou já comprar uns gorosans, antes de iniciar o estágio para o rally!

Saudações Formosas

JAGPacheco

Vivemos numa sociedade em que o liberalismo parece ser a palavra de ordem.

É preciso não esquecer que vivemos em ilhas e uma política liberal poderá conduzir a uma degradação dos serviços. O mesmo poderá acontecer com a abertura de novas tascas no P.Formoso.

As lojas (gosto mais deste termo) tiveram e têm uma grande importância no Porto Formoso.

Sem qualquer ofença para as actuais, gostaria de referir três que já desapareceram - A do José de Lima, a do José Rodrigues (Bloto) e a do Norberto Ponciano.

Das três, foi a primeira que atingiu maior desenvolvimento. Beneficiando dos "cobres" ganhos pelo pai na Bermuda, o sr. José de Lima até tinha um departamento de vender fazendas.

Uma coisa curiosa nestas três lojas é que os seus proprietários eram "donos" de equipas de volei, cada uma com campo próprio.

O sr. José de Lima ainda foi mais além, com uma esplanada onde havia cinema.

Enfim, aqui fica o registo de um passado não muito distante...

Mais dois registos:

- A merceiaria e taberna do sr. António de Lima Raposo que ficava na casa do Luís dos Ovos. Este senhor era Vereador na Câmara da Ribeira Grande, veio para o Porto Formoso dos EUA por causa da II Guerra Mundial e voltou aquele país em 1954.

- O Edifício da Legião Portuguesa, um verdadeiro clube de diversão com jogos de salão e ao ar livre, que ficava na Rua Francisco Machado Faria e Maia, abaixo de garagem do sr. José do Monte

Devido à minha idade, das tabernas mais antigas só conheci a taberna do Sr. José Bloto. Essa taberna era um caso especial onde se cortavam cabelos e bebiam-se umas cervejas chocas e aguardante tudo misturado.

As tabernas ou lojas foram no POrto Formoso o local de maior convívio e era lá que a modernidade chegava mais depressa!! Foram as tabernas que tiveram rádio e TV primeiro e onde todos se juntavam!

Mesmo com o exagero de tabernas, as lojas antigas nunca deviam acabar!
AS UNICAS SAO: A do Sr. Laudalino viana promete por mais alguns anos, a do Sebastiao está agora com futuro esquisito e a do Sr. José Plora. Essas lojas se se actualizarem mas sempre com o estilo tradicional açoreano serão sempre respeitadas e terão clientela para toda a vida. No futuro não vai haver tabernas dessas e as pessoas vão querer voltar lá.

Cumprimentos

A "bolinha".

Há uns 10/12 anos atrás estava na moda beber uma bolinha. Nos verões, era a cerveja que mais vendia no snack bar dos moinhos.

Depois, com a alteração da garrafa, perdeu-se o interesse nesta cerveja e actualmente a cerveja que mais se vende no porto formoso é a sagres pequena.

Curiosamente, a garrafa desta cerveja tem algumas semelhanças com a antiga bolinha.

Afinal, o que é que importa, a garrafa ou a cerveja que lá está dentro?

Já que se fala de antigas tascas, não nos podemos esquecer do casino royal.

Claro que o casino era muito mais do que uma tasca. O casino tinha uma mística que poucos clubes em S. Miguel terão.

Muitos dos actuais "campeões" de snooker do porto formoso fizeram a sua estreia no casino com bolas de berlinde.

Sob a gestão do Joaquim Teixeira e do Ricardo da Ribeirinha, o casino proporcionava uma vasta oferta cultural. Desde jogos de carta, snooker, filmes amadores, musica, etc...

Este terá sido provavelmente um dos locais que mais marcou a juventude dos calços (e nao só) na primeira metade dos anos 90.

Como podem compreender não me lembro da Casa da Legião, nem da loja do José de Lima que na época foram fontes de inovação para a freguesia. No entanto a juventude do início dos anos 90 foi marcada por um local por muitos detestado e por outros amado:

O CASINO ROYAL

No início era apenas uma oficina de bicicletas, porque naquela altura existiam dezenas delas no Porto Formoso.
Depois a oficina transformou-se no Casino Royal. Adoptou-se a frase do Herman José: No casino Royal só entra quem tem cabedal!

Como explicar o que era o Casino? EM 1º lugar penso que o Casino era uma alternativa para a juventude, a todas as velhas tascas que então existiam. No Casino haviam coisas onde não existiam em qualquer outra taberna: matraquilhos, mesa de snooker, música (muito actual para a época), chegaram-se a passar filmes, jogava-se às cartas (até pessoas mais velhas iam para lá jogar)e havia cerveja, batata frita de pacote e posters de grupos rock e de mulheres semi-nuas nas paredes. No início não havia electricidade, os petromax resolviam o problema.
Houve quem comprasse tacos de snooker profissionais para jogar no casino, quem comprasse música nova de propósito para passar no casino, enfim o Casino na altura foi um centro de modernidade comparado com as outras tascas onde só havia bebida e televisão (no casino não havia TV)!

Claro que para uma freguesia com uma forma de pensar como nossa (escuso-me a qualificar essa forma) o Casino foi logo considerado um antro. Mas para toda a juventude era o único sítio diferente e onde eram respeitadas as diferenças!

Quero também dar os parabéns aos gerentes Jaques e Ricardo que na altura conseguiram levar para diante o seu barco (casino), quando muita gente tentava que fechassem a porta o mais rapidamente possível. Actualmente eles podem gabar-se de terem influenciado mais a juventude daquela época que qualquer outra instituição do Porto Formoso.

Caros bloguistas,

já à algum tempo que não participava no blog.

É verdade sim senhor o casino royal era uma alternativa às tascas existentes no Porto Formoso.

Nada do que foi dito é mentira. É tudo a mais pura das verdades.

Como em todos os lugares existem os chamados "velhos do Restelo" que criticavam a existência do Casino Royal. De facto pensavam que aquilo era um antro de perdição para a juventude.

Conheço muita boa gente que hoje em dia tem as suas profissões a crreiras muito dignas que foram influenciados de uma maneira ou de outra pelo ambiente de amizade, de fraternidade (às vezes também zaragatas pelo meio, mas nada que não se resolvesse na altura) que existia dentro do casino royal.

Sem dúvida que a frase que estava por cima da porta "NO CASINO ROYAL SÓ ENTRA QUEM TEM CABEDAL" era emblemática. Penso que quem a escreveu na altura foi Emanuel Furtado. Claro está que não foi da sua autoria....

População do Porto Formoso, precisa-se urgentemente de um novo CASINO ROYAL. Dos tempos modernos, é certo, mas que faça a diferença em relação às outras tascas!!!

Que lindo exemplo.

Será verdade que a dra. dra. Berta Cabral vai receber 1.000,00 de senhas de presença nas reuniões da Associação de Municípios.
Cada presença 1.000,00 €. Quatro presenças por mês = a 4.000,00€.

Onde irá parar este país com tais políticos?

No boca-a-boca diz-se que o Jorge Silva comprou o terreno adjacente ao seu café - Uma quarta de terra - por 140.000,00 e tem um projecto para aquele lugar que ultrapassa os 500.000,00 €.
Percebendo pouco de negócios e da rentabilidade de empresas penso que este investimento reprentará um encargo mensal superior a 20.000,00€.
É um acto de grande coragem este investimento.
Penso que os valores em causa têm levado o seu proprietário a fazer uma reflexão.
Enquanto reflete sobre o negócio, não seria possível fazer uma parceria com a Junta de Freguesia de modo a tornar aquele local mais limpo?
Aquilo é uma mancha negra para quem está no jardim. Ali convivem cabras, patos, galinhas e ratos.

Do Casino Royal e de lojas não percebo, mas terrenos já percebo um pouco mais e de dinheiro ainda mais.

Estava a pensar comprar uma alqueire de terra para plantar umas flores mas o preço deve andar pelos 500 000 €!!!!
Os terrenos na freguesia têm minas de ouro debaixo delews?
Devem ter ouro prata e mirra pelo preço a que uns andam a ser vendidos. Cala-te boca.

O bloger "deus 2" coloca uma adivinha no fórum EDUCAÇÂO que me parece dificil de lá chegar.

Por isso entendo dar o meu contributo.

A família em causa dirigiu-se então à Junta de Freguesia para saber o que se passava. Aí foi ameaçada a ficar calada de modo a ser contempltada numa nova oportunidade.
Aquela Junta de Freguesia já se foi e a familia, que entretanto já tem alguns membros casados, continua a aguardar

Populacao residente no Porto Formoso e S. Bras durante os ultimos 100 anos.

Nas estatisticas do SREA, so a partir de 1981 e possivel ter dados separados de S. Bras e Porto Formoso (antes destes data S. Bras era parte integrante da freguesia do Porto Formoso). Por uma questao de consistencia, os dados de 1981, 1991 e 2001 referem-se ao somatorio das duas freguesias.

1900 - 1622 residentes
1911 - 1767
1920 - 1911
1930 - 2381
1940 - 2602
1950 - 3093
1960 - 3170
1970 - 2638
1981 - 2079
1991 - 1998
2001 - 1902 residentes (1267 P. Formoso e 635 S. Bras)

3170 residentes em 1960 e apenas 1902 em 2001. Um decrescimo de 40%!

Onde para esta gente?

Censos 2001, Populacao residente no Porto Formoso por grupos etarios:

0-4 anos: 102 residentes
5-9: 85
10-14: 91
15-19: 133
20-24: 125
25-29: 103
30-34: 83
35-39: 75
40-44: 90
45-49: 70
50-54: 57
55-59: 52
60-64: 35
65-69: 57
70-74: 43
75-79: 40
80-84: 16
85+: 10


+ 18 anos: 912 (70%)
- 18 anos: 355 (30%)

A CASA DA MOSCA constitui um polo aglutinador das gentes do Porto Formoso e não só...

Torna-se, por issso, importante que as pessoas que frequentam esta CASA a divulguem, principalmente aos emigrantes dos EUA e Canada.

Só com a participação e energia de todos é que podemos tornar o Porto Formoso melhor

A utilização da crítica deve levar os nossos dirigentes a agirem de modo mais moral, indo assim ao encontro da sociedade que dizem querer servir.

É lamentável que os servidores do povo estejam fechados nas suas casas, ignorando as necessidades da freguesia e, pior do que isso, vangloriando-se de infligirem castigos às pessoas.

Esses dirigentes, devido à falta de humildade e cultura, sentem-se perante as críticas compelidos a praticarem más acões no futuro, com reflexos directos na população.

Por isso, é da maior importância ensinar os princípios morais básicos às crianças e jovens e a mostrar-lhes que é no seu melhor interesse agir com lealdade e consideração para com os outros de modo a não se cometerem os erros dos actuais dirigentes.

Só com uma educação racional e democrática é que podemos suprimir as necessidades existentes actualmente na n/ freguesia.

E agora o "casino royal" sera uma casa moradia.
Sr Regedor esqueceste-te de um pequeno promenor:
O casino royal teve uma fase quue era "jaques II"

Caros conterrâneos,

conheço bem as gentes da nossa freguesia e sei que há pessoas com grande capacidade e que estão desaproveitadas. Estão assim porque não têm iniciativa própria. Cabe aos "dirigentes" aproveitarem essas pessoas e não ficarem em casa a ver a TVI e o Castelo Branco.
O nosso presidente da junta de freguesia tem amigos e inimigos, mas ninguem lhe pode acusar de estar longe das pessoas. Ele contacta diarimente com a população.

Oxalá outros dirigentes fossem assim...

NO COMENT
A “Ribeira do Lugar” merecia muito mais do que aquilo que se vê actualmente, na sua foz.
A existência deste curso de água permanente e o porto de abrigo foram certamente, as principais condicionantes para o povoamento do “Porto Formoso”!
No entanto, nunca passaria pela cabeça de ninguém que seja um empresário da restauração, a proceder ao seu ordenamento ou ao tratamento dos esgotos que nela são lançados.

Já que não serve o exemplo da Maia, aqui tão perto!

“Plantas vivas ajudam a tratar esgotos de águas residuais
A utilização de plantas para tratar esgotos é uma das novidades previstas para as sete novas pequenas Estações da Tratamento de Águas Residuais (ETAR) que vão ser construídas no Algarve até finais de 2006. As novas estruturas servirão os concelhos de Aljezur, Vila do Bispo e Alcoutim, estando dimensionadas para 2050 habitantes…”

Açoriano Oriental, 10 de Novembro de 2005

Saudações Formosas

JAGPacheco

Aos vergonhosos destruidores do nosso património

Depois da destruição do moinho da Ribeira Seca repete-se a mesma cena, com protagonistas diferentes.
Todos conhecemos os tanques de lavar roupa à entrada da nossa Praia dos Moinhos. Pois bem, a água que passa nesses tanques segue para uma levada de água, toda em pedra antiga. Essa estrutura de pedra é uma relíquia, fica logo abaixo dos tanques e podia-se vê-la directamente do caminho ou subindo umas escadinhas de pedra até lá. Uma jóia! Um regalo para a vista. Património da nossa freguesia.
O certo é que o proprietário do Snack-bar O Moinho além de estar a fazer um elefante de cimento com muros a taparem os vizinhos, decidiu enterrar essa levada com uma estrutura de cimento armado. A levada desapareceu... atulhada no cimento que sente vergonha de quem o pôs lá! Quem para lá olha agora só vê cimento.
Estão a destruir obras de arte dos nossos antepassados que são o orgulho da nossa freguesia.
O que faz a Câmara ou a Junta de Freguesia? O que faz a secretaria do ambiente e do mar? NADA! Pactuam com a destruição das belezas naturais quando a aposta no Turismo é enorme.
Tenham vergonha. A minha consciência ficará leve quando enviar uma denúncia dessa destruição às entidades competentes.

Sr. presidente da junta: defenda os interesses da freguesia e acabe com a pouca vergonha que ali vai. Sr. presidente da câmara: defenda os interesses do concelho e acabe com a pouca vergonha que ali vai. Sra. Secretária regional do ambiente: defenda o ambiente e o património e acabe com a pouco vergonha que ali vai.

Realemente só acontece dessas cenas no porto formoso.
Levanto aqui uma questão:
O que sera feito para para minimizar essa situação? As obras irão parar? Irá ser feita alguma vistoria por parte das entidades competentes?
È o Sr Jose Soares, porque se fosse outra pessoa com menos influencias já lhe tinham caido em cima!

Um bem haja a todos os bloggers.

Este senhor Soares tem a mania de fazer o que bem entende.
O problema é que atitudes semelhantes já têm barbas.
Quem é que discuste as construções feitas na Praia dos Moinhos quando o eng. Hermano Mota era presidente da Câmara.
Temos que nos amanhar com os políticos que temos

A primeira ideia que me vem á cabeça, no caso deste sr. que pertence ao clã Soares, era a de por uma bomba naquela construção, mas penso que não seria a solução mais adequada porque há vizinhos por perto que iriam sofrer as consequências.
A segunda solução, a mais lógica e do ponto de vista social a mais correcta, seria arranjar fotografias da antiga levada, e tirar fotografias recentes e escrever uma carta para as várias entidades com responsabilidades nesta situação, expondo o que ali se passa. E são estas
SRAM - SRHOP - SREC - CZMA - CMRG - JFPF - e Comunicação Social.

Demonstrar por A+B que este canalha está a destruir o Vosso/nosso património em muitas frentes; Poluição Visual, Poluição Ambiental, Destruição de Património, Construção sem Licenciamento, Construção em Zona Proibida, Impedimento de Bandeira Azul, e muitas que não me ocorrem de momento.

Quem fizer esta denuncia estará a defender o que é seu e a participar activamente na sociedade. Não basta falar, vcs tem de agir. Revoltem-se. Tomem uma posição na Vossa sociedade.

Continuem com estas denuncias.

Bem hajam.

Deram entrada na Câmara da Ribeira Grande, entre outras, muitas facturas referentes a obras realizadas no Salão Paroquial do Porto Formoso.
Estas obras não têm cabimento orçamental.
O que irá fazer o dr. Ricardo Silva, devolvê-las ou pagá-las??.
Convém acompanhar esta novela, assim como os seus autores, alguns dos quais se pretendem afastar do palco.

Pela primeira vez, acedi a este blog o qual será de interesse de todas as gentes do Porto Formoso. Como habitante desta simpática freguesia, e perante alguns assuntos aqui abordados, pareceu-me muitissimo interessante a questão levantada quanto ás novas obras feitas por cima das antigas, ou seja, no que diz respeito á moderna construção do snack bar O Moinho, que não está de todo enquadrada no ambiente, mas que tendo o seu propriatário toda a legitimidade para a fazer, ninguém a poderá criticar. Choca-me sim, antes o facto desse mesmo proprietário, não o ser das escadas que á anos existiam no acesso á praia, ter feito uma rampa em cimento (uma coisa VERGONHOSA!!!!!), que não serve mais ninguém a não ser o mesmo senhor, uma vez que a dita rampa foi feita só e unicamente para o servir a ele e à sua moto4. Uma escada com algumas décadas de anos ser coberta de cimento é escandaloso, mas o mais escandaloso é a rampa que está feita antes e que tem acesso ao bar ser duma acentuada inclinação, tal que nem mesmo o corrimão que lá está servirá para nos segurarmos, uma vez que para todos os adultos este corrimão dá pela a altura dos joelhos! Talvez quando uma pessoa já estiver no chão, o corrimão sirva apenas e exclusivamente para nos apoiarmos a pôr de pé novamente.
Senhor presidente da Junta, não terá o senhor, bem como toda a sua equipa meios para combater esta situação. Quem votou em si, gostaria de o ver a lutar mais pela sua terra, seu património e por aquilo que os nossos antepassados deixaram feito.
Não seria de bom senso que o proprietário fosse obrigado a reparar o mal que fez e deixar as coisas como estavam antes. Lembre-se de que quem frequenta a praia, não serão só jovens com boas pernas para subir esta inclinada rampa, mas também idosos, a quem a rampa só vem prejudicar. E ter um corrimão que a pessoa tem que estar sentada para se poder apoiar nele, parece-me ridiculo.
É natural e sensato que exista uma rampa para carrinhos de bebé e cadeiras de rodas, mas nunca esta que para quem se servir dela, sujeita-se a ir parar á baixa, tal é a inclinação e o embalo que se ganha a descer a dita rampa.
Bem haja!

Dado muitos bloggers emigrantes não poderem constatar in loco o que aqui está a ser relatado, sugeria aos bloggers que tirassem várias fotografias destas "atrocidades" e as encaminhassem para o regedor.

O assunto justifica a criação de um novo post com carácter de urgência!

Neste post podemos discutir este e outras problemas ambientais e patrimoniais do Porto Formoso.

A situação exige também uma tomada de posição pública da Junta de Freguesia.

Não havendo uma tomada de posição da junta nos próximos 5 dias deve-se avançar imediatamente para a comunicação social. Mesmo que a junta não tenha nada a haver com o licenciamento das obras, está em causa o interesse público!!

A levada em causa conheço-a desde que nasci.
Se o senhor dono do snack-bar da praia destruiu-la com cimento armado a Junta de Freguesia tem de fazer algo. Como diz o blogger cavalete a Junta De Freguesia tem de tomar uma posição pública e não pode enterrar a cabeça na areia, não pode compactuar com a destruição. Está em causa o interessa do povo do Porto Formoso.

É muito grave se ninguém fizer nada. Concordo que se avance para a comunicação social e para a secretaria do Ambiente.

Se as pessoas têm coragem, sejam práticas. Em vez de criticarem a Junta de Freguesia denunciem o caso da Praia dos Moinhos directamente para os Jornais.

Querem que a Junta de Freguesia faça tudo, parece que vivemos num estado comunista.

Aqui vão os contactos dos jornais.

correioacores@mail.telepac.pt
acorianooriental@acorianooriental.pt
diario@da.online.pt

Vamos lá ver se há alguém que os tem no sítio.

Bem não gostaria de opinar sobre assuntos internos do Porto Formoso, pois quem vive lá é que tem que fazer alguma coisa pela sua terra, como eu também faço pela minha.
Agora, como frequentador assíduo durante o período de Verão da Praia dos Moinhos, tenho o direito de me queixar, pois também não vou nada com a cara do Sr. Proprietário do Snack-Bar Moinhos, pois tem a mania que é mais esperto do que os outros.
Agora Caro Blogger Águia, se a população do Porto Formoso votou numa determinada pessoa para Presidente de Junta, é porque acharam que era a melhor para defender os interesses da freguesia.
Pelos vistos o Presidente da Junta é que não os tem no sítio.

Cumps

James Dean

A Junta não tem de fazer tudo mas tem de defender o interesse da freguesia. A junta tem de interceder para não destruirem o património. É uma vergonha o que ali está feito.
Se alguma(s) pessoa(s)vão fazer alguma coisa contra aquilo ainda melhor. O blogger denunciador já disse que ia mandar queixa para várias entidades. Por mim também estou a pensar nisso.

colegas de blog, hoje ao meio dia recebi um telefonema de uma pessoa que não percebe nada de computadores a dizer-me "tens de escrever para o blog que taparam com cimento a levada de água da praia que eu vi" Quando venho agora ao blog vejo que é disto que ja estáo a falar.

Faço um convite a todos passem este feriado ou no fim de semana na praia para verem. Eu vou lá ver se é verdade o que destruiram a levada. Senhores da junta de freguesia passem também lá.

Enquanto na n/ freguesia há uma "vocação" para a abertura de lojas, em S. Braz abriu um ginásio.

Uma questão de mentalidade ou uma visão economicista??

Tenho vindo a receber alguns contactos de muitos conterrâneos que residem no estrangeiro a solicitar que sejam difundidas notícias da n/ freguesia.

Fica aqui o apelo a todos os colaboradores.

A par disso, também sentem a necessidade de algumas imagens. Esta questão parece estar em vias de solução.

A blogger AGUIA apenas indica três jornais.
Há mais publicações em S.Miguel:

- Jornal dos Açores
- Expresso das Nove
- SABER AÇORES
- Ecos do Norte e
- Terra Nostra.

Vamos lá ver quando é que sairá uma notícia sobre a Praia dos Moinhos.

Convém é saber se o proprietário do Moinho tem ou não autorização para efectuar aqueles "melhoramentos".

Ainda dentro do assunto das tascas é de referir que poucas são as tascas e cafés de jeito que existem nesta freguesia. As melhores estão concerteza na zona dos Moinhos, onde se tem a melhor vista (Snack Bar O Moinho) e onde se come melhor (Viana). Na primeira é pena não ter um atendimento de qualidade. Na época de Verão que é uma altura que se aproveita mais a noite, as portas fecham sempre a horas impróprias para quem está de férias e quer descontrair um pouco mais e paroveitar as suas noites quentes de Verão. É certo, que as pessoas que lá trabalham estejam cansadas, mas para isso é que existem turnos e dado o elevado número de trabalhadores que o referido bar teve este Verão, o mesmo tinha condições para estar aberto até pelo menos ás 02h da matina. Depois o aspecto que o bar tem não tem nada a ver com o meio em que está inserido. Um balcão de espelhos numa zona de praia, parece-me de todo desenquadrado, mas a falta de gosto não se pode criticar pois nem todos nascem com visão para o que os rodeia. Também a maneira como o proprietário se pavoneia, querendo mostrar a todos que é mais letrado do que a maioria dos seus clientes, parece-me desnacessária, bem como os seus fracos e parcos trajes. Aquilo é um bar, não a sua casa! Dahhhhh!
Quanto á Tasca O Viana só é pena realmente não ter um sitio mais confortável e espaçoso para se poder es+tar, pois o ambiente é muito bom e a comida caseira fantástica!
Bem Haja!

Tasca Lojas Tabernas Cafés tudo a mesma coisa.

Quando é que alguem faz alguma coisa de jeito?

viva à tasca do Viana

A Tasca do Tio Viana, é sem dúvida um dos melhores sítios para passar uma tarde de verão, pois é por lá que passa o "Peixe" que vai tomar o seu banhinho de sol. É claro que quem passa está sujeito à censura dos frequentadores assíduos da tasca (tudo gente porreira).
Já tive vezes de ir à praia e não passar da tasca para baixo.... ainda por cima a cerveja é mais barata do que no snack bar...

Cumps

James Dean

A tasca do Sr Viana sempre!
È o melhor sitio para se passar um bom serão

Enviar um comentário

Locations of visitors to this page