Dia do Mar ou dia da água

Ontem (Domingo) choveu muito. Muito mesmo, mas nada que não aconteça quase todos os anos em São Miguel. Assim, infelizmente, o programa das comemorações do Dia do Mar no Porto Formoso resumiu-se à limpeza da baía por parte dos escuteiros marítimos, com a presença da Polícia Marítima, Capitania, etc.
Esta excelente iniciativa - o Dia do Mar - ficou transformada em dia da água, por força da chuva que caíu e que continua a cair no momento em que escrevo este post.
De um momento para o outro, por volta das 15h de Domingo abateu-se uma chuva intensa sobre o Porto Formoso e em apenas meia-hora os caminhos pareciam ribeiras, com troncos e pedras a alta velocidade, navegando nas nossas ruas. De tal forma que os proprietários dos veículos tiveram de sair de casa à pressa para tirar os carros das ruas mais perigosas. Uma brigada de intervenção rápida da Junta de Freguesia depressa “saltou” para as ruas a tentar fazer o possível, limpando esgotos, desentupindo saídas. Imagine-se se aquela intensidade da chuva durasse uma hora ou duas, o que aconteceria?
(Até aqui, quem vive na nossa, terra não leu nada de novo. Tudo isto acontece quase todos os anos).
A novidade, que também não é novidade, é que houve uma casa, na zona do Coucinho, inundada com água pelo joelho. Digo que não é novidade porque cada vez que chove muito aquela casa fica inundada. Claro que os Bombeiros e a brigada de intervenção rápida da Junta de Freguesia agiram depressa e bem, auxiliando os moradores daquela casa, mas trata-se de remediar o problema.
Hoje em dia não há necessidade de umas pessoas estarem na rua debaixo de chuva e com água pelo joelho dentro de casa, com parte das suas coisas destruídas, quando já não é a primeira vez que isto acontece. Havia quem afirmasse que era quase todos os anos assim.
Foram feitas obras de prevenção na ponte da ribeira que passa no Coucinho, mas não foram feitas obras na outra ribeira que vem do Ferreiro e desagua na zona do Coucinho. Foi aqui que tudo aconteceu.
Como disse, esta situação já se arrasta há muitos anos. Para quando obras naquela ribeira para que não volte a acontecer inundações?
Quantas vezes mais a casa daquelas pessoas precisa de ser inundada por lama, para que alguém com responsabilidade imponha a feitura de obras urgentes naquela ribeira?

ps. neste momento, volta a chover intensamente, e, enquanto uns estão em casa aconchegados, poderá haver outros que andam debaixo de chuva com a casa às costas.

Comentários

Anónimo disse…
Faço um apelo aos nossos emigrantes para que ajudem financeiramente os filhos de um casal que faleceu recentemente no Porto Formoso.
Anónimo disse…
Todos devemo-nos ajudar uns aos outros não se esqueça SE AJUDAR ELES AGRADECEM!Obliged since they read this comment.
Anónimo disse…
Bem visto regedor

A casa do miltinho não ficou cheia de água... tirava-se a agua para fora e ficava bom. Ficou cheia de lama!


morador do coucinho
pedro lopes disse…
O Inverno chegou. E chegou a sério, com muita chuva, algum vento e o frio.

Com o inverno e a sua inevitável chuva, indispensável para manter estas ilhas verdes, chegam as inundações e algumas desgraças associadas.

Mas, se os imprevistos acontecem, já os males identificados devem ser reparados.

Parece que neste caso se prefere remediar - com claro prejuízo para a familia que ali vive -, a tomar medidas no sentido de evitar que volte a acontecer.

Pode ser que seja desta....
JAGPacheco disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
JAGPacheco disse…
Rua Nova ou Ribeira Velha!

O Porto Formoso tem um sistema hidrológico (Ribeiras) bastante complexo. No Caso do Coucinho com um registo histórico de Cheias, são três as ribeiras com caudal torrencial considerável que ali afluem.

A “Ribeira das fontes” ou do “Coucinho”, de maior bacia hidrográfica nasce na zona do Monte Escuro / Lagoa de São Braz. Atravessa a estrada regional na ponte do Valério (Junto ao café do Alfredo Caloura) e o centro da freguesia de São Braz na ponte junto ao novo mini mercado. Já no Porto Formoso passa na ponte do Coucinho que recentemente sofreu obras de beneficiação. Foi esta a ribeira que originou a “cheia do castigo”.

Com uma bacia menor, a “Ribeira dos Foros” ou da “Lombinha”, atravessa a estrada regional na ponte da lombinha, (junto ao posto de recepção de leite) e já no coucinho passa a rua nova num aqueduto acima das três casas recentemente construídas. Entronca com a ribeira do Coucinho logo a seguir á ponte da Chã, também melhorada.

A ribeira responsável pelas recentes inundações é a ribeira das Lages que atravessa a estrada regional, junto ao caminho com o mesmo nome. Chegando ao Porto Formoso é estrangulada por um aqueduto, logo abaixo “das três casas recentemente construídas” e desaguando, á saída na ribeira da lombinha.
No passado este aqueduto não existia porque o leito da ribeira seguia o traçado da actual rua nova passando sob uma ponte, agora soterrada, no início da rua. Logo quando ocorre um entupimento do pequeno aqueduto, a água segue seu curso original “desce a Rua Nova do Coucinho”.

Nos dias de hoje até é tecnicamente possível desviar rios de grande caudal. Para resolver este problema de inundações recorrentes naquela zona. Basta apenas aumentar a secção do aqueduto. Que está notoriamente subdimensionado para aquela ribeira.
O Regedor disse…
"onde nada se passa tudo pode acontecer"

Não me lembro do autor desta frase, mas nunca mais a esqueci. Foi assim domingo passado: nada se passava e de um momento para o outro o caminho parecia uma ribeira e tinhamos os bombeiros a tirar água de uma casa inundada. A secretaria regional que fez e bem, obras na ribeira do coucinho deveria também fazer obras na ribeira das Lajes para que cenas destas não ocorram ano sim, ano não.
Ao que parece alguns populares que acorreram ao local mostraram a sua indignação ao presidente da Junta de Freguesia, exigindo obras na ribeira. Espero que o presidente da Junta faça ouvir a voz destas pessoas junto das entidades competentes!

Outras situações

Esta é quase anti-democrática. O site da Câmara Municipal da Ribeira Grande www.cm-ribeiragrande.pt foi remodelado e pedem-nos para votar sobre o que achamos da remodelação efectuada.
E aparece assim:

"O que acha do novo site da Câmara Municipal da Ribeira Grande?
Razoável
Bom
Muito Bom"

Quer dizer, só há 3 hipóteses e são todas boas! Não há qualquer hipótese de votar "Mau". Andam a aprender com Salazar?
O Regedor disse…
Outra cena à la Ribeira Grande - assim se vive a Democracia!

O outro dia um ribeiragradense de gema, que acompanha A Casa da Mosca e conheçe pessoalmente o Regedor, vira-se e diz assim:

- Eu bem sabia que eras do PSD!
- Eu?! Porquê?
- Porque andas sempre a escrever que a Câmara não faz nada no Porto Formoso.

Moral da história: quem critica a Câmara da Ribeira grande é porque é do PSD.
Não há qualquer hipótese de uma crítica vinda do interior do próprio partido, só da oposição.
Anónimo disse…
Braga.

Tasse!
Embora nao esteja a viver no meu Porto Formoso, sei o que acontece num dia chuva intensa. Hoje há ruas acimentadas porque houve males que vieram por bem. Porém, há males que podem e devem ser evitaddos já que não trarão beneficios alguns.
Quanto à problemática das siglas Ps e Psd a unica diferença é a letra "d", de resto é igual, não vejo a confusão. O "d" pode ser a primeira letra da palavra "emagogia". Tou divagando!Mas, agora de forma mais séria...a informação hoje em dia é tanta, e a capacidade de a receber também que a realidade jamais poderá ser deturpada por meros vocábulos de definição dicionárica.Está tudo tão evidente que não interessa ser da "direita", da " esquerda" ou do "centro"; de "baixo" ou de "cima". Só há um caminho a percorrer - o da transparência. Penso eu que não existe nenhum partido politico que tenha na sua sigla a letra "T" de transparência. Um abraço.
pedro lopes disse…
Caro Regedor,

essa do site da CM Ribeira Grande, tá bem apanhada. Só vale pra cima de razoável e logo abaixo de excelente...

Quanto à conversa entre amigos, e não querendo particularizar na pessoa do teu amigo, devo dizer que, infelizmente, espelha bem o espirito que vigora na nossa sociedade; "ou és por mim, ou estás contra mim."

Eu, à tua semelhança, recuso-me a aceitar essa divisão.
Uma critica vale por si só. Mal de nós se abdicássemos da nossa liberdade de pensamento em prol da vontade de um qualquer partido, clube, instituição, associação, federação ou sindicato.

Uma coisa é reconhecermo-nos e fazermos parte de uma qualquer entidade supra referida, outra é renunciarmos a nossa capacidade critica, por esta poder não alinhar ou mesmo ir contra a opinião "oficial".

Para que uma qualquer organização melhore, é necessário que esteja aberta à critica e divergência de opinião, mesmo internamente.

Como disse o nosso caro amigo Tiago Melo na caixa de comentários anterior, "viva a democracia".....e eu acrescento, " e a liberdade de expressão e opinião"
Anónimo disse…
No jornal de hoje falava na limpeza feita pelos escuteiros na baia, a junta ofereceu um almoço e depois foram fazer uma visita ao chá Porto Formoso e beber chá.

Se unirmos esforços o Porto Formoso fica mais forte.

Parabéns à ideia da Junta e da Fábrica de chá.

saudações
Anónimo disse…
ola a todos mais uma ribeira a correi pelo caminho e ninguem fas nada no porto formoso que lindo nome mas nao e com as ribeiras a correi todos os anos pelo caminho
nem junta nem ninguem fas nada e so comer o dinheiro e as pessoas e que sofrem quando fas mau tempo
Anónimo disse…
Eu sou do Porto Formoso
Andei por vários caminhos
Vi um sitio maravilhoso que é a praia dos moinhos.
*****
*****
*****
Isto aqui é Portugal
Onde há muita gente para ver
Tem lá um lindo areal
Com muitas ondas a bater.
****
****
****
São Miguel é Lindo!
bjs

Mensagens populares deste blogue

Trilhos pedestres no Porto Formoso, onde?

Águas Medicinais da Ladeira da Velha