« Home | Esclarecimentos » | Mais uma vez... » | Quem te viu e quem te vê » | Loja do Viana » | Neste blog é proibido fumar » | Feliz Natal! » | Nada será como dantes » | Fim de tarde no paraíso » | Dia do Mar ou dia da água » | Projecto turístico »

Ramal

Rua do Ramal, anos 60 (ou 50?)

Esta é a rua do Ramal. É a rua menos central da freguesia. Não tem lojas, não tem jardins, não tem casas grandes, não tem mini-mercados, mas tem todos os carros que entram na freguesia a passar por lá.
Talvez por ser das ruas menos centrais é especialmente difícil arranjar fotografias como esta, que data dos anos 60 e revela-nos uma rua de casas de aquitectura tipicamente rural, com uma porta e duas janelas laterais, compostas por dois quartos, uma cozinha e um sotão. Assim, vivia uma família inteira durante o período da ditadura.

PROCURA-SE (e está a ser difícil de encontrar)

Foto do "nosso" Evaristo, de preferência com as suas artes de pesca, para publicação aqui no blog.
Enviar por email ou contactar directamente o regedor.

Obrigado

Infelizmente, acho k cada vez mais os carros deixam de passar por lá, daki a dias acho k vai ser só os autocarros, porke nao podem ir por outro sitio, mas é vergonhoso o acesso ao ramal, para quem vem da costa sul. até dá dó passar por lá. e nada fazem para recuperar a estrada, tapam uns buracos e abrem outros ainda pior, isto sim é a nossa evolução.

No jornal CORREIO DOS AÇORES, na sua edição de hoje, vem uma reportagem do jornalista Carlos Rego, com o título "Estacas seguram casas no Porto Formoso".

O referido artigo descreve o estado em que ficaram os quintais das casas da Ribeira do lugar, principalmente a do Laudalino Paulo da Silva, devido às últimas chuvadas

Ao contactar os diversos departamentos governamentais, o referido jornalista é "empurrado" para "estudos" destinados a resolver o problema.

Os nossos governantes deleitam-se em estudos de gabinete e esquecem-se da realidade do dia-a-dia.

Vamos ver o que é que o futuro nos reserva para esta zona.

O ricardo silva é um farssolão...
Alguém o viu no Porto Formoso nas últimas semanas?

A verdade verdadinha vem no Correio dos Açores e está á vista para quem quiser ir lá ver.
A casa do Laudalino está pendurada por estacas de madeira a cozinha do Jorge e a parte tras da casa do José Luís também estão.

Estão a fazer estudos?? Vão esperar até cair as casas para a ribeira até acabar os estudos?
Os governantes não querem saber do dia a dia dos moradores!! Não podem ir ao quintal senão caem para a ribeira.
O Ricardo Silva nem pos os pés no Porto Formoso para saber das necessidades e por isso mesmo vai perder as próximas eleiçoes no Porto Fomroso.

Gostei da foto deste post.
A estrada do ramal ate a estrada regional tem mais crateras do que a lua. Quem passar lá todos os dias o carro vai para a sucata num ano.

Adeus

Ha muitos no Porto Formoso a dizer que no tempo do Salazar é que era bom!!! Oh minha gente
No tempo da fome negra da miseria da guerra da PIDE da falta de liberdade, sem luz nem agua nem retrete para cagar e sem dinheiro, sem saude!
Esta foto mostra como era a vida naquele tempo.

Onde pára essa juventude partidária? Esses são assuntos que deveriam ser levados mais vezes junto da comunicação social pelas juventudes partidárias do Porto Formoso! Isso para não falar da oposição partidária que parece só existir no dia da contagem dos votos!!

Grande verdade cavalete

O dr. Ricardo Silva escolheu uma equipa camarária que parece não saber, nem quer aprender a ler os sinais que brotam das gentes do Porto Formoso.

Esta equipa não transmite ao seu Presidente os sinais de alarme do que se passa na nossa freguesia, ou então o dr. Ricardo Silva impõe uma disciplina tal que os vereadores não conseguem ter uma "aberta" para fazerem o ponto da situação.

Só assim se compreende a falta de vontade para resolver o problema da Ribeira do Lugar.

Felizmente aqui neste blog cada um diz aquilo que pensa, chamando a atenção a um Comandante a contas com ventos turbolentos e com uma equipa de marinheiros egoísta que não sabe ou não quer ler a carta de navegação.

Gostava que todos os anónimos anteriores fundamentassem o que escrevem (em concreto o Sr JASRaposo). Já que mostram saber tanto. Por exemplo, qual é o papel da CMRG (obrigações legais), neste caso da Ribeira do Lugar? Ou melhor, o que acha que o Dr. Ricardo Silva, e sua "equipa camarária", poderiam fazer concretamente, e que ainda não fizeram, para resolver esta situação (das 2 casas seguradas por estacas de madeira)? Abraço.

Muito provavelmente a solução deste problema grave, passa pelas obras que irão ser feitas pela Secretaria Regional do Ambiente e do Mar, integradas na reabilitação do porto de pescas.
Estes estudos de impacto ambiental são questões que demoram algum tempo.
Não se poderia acelerar a resolução em concreto para o problema da ribeira do lugar?
As casas estão em perigo de ruir!

Com um forte abraço.

Amigo anónimo,

mais importantes do que as obrigações legais são as obrigações morais!

Logo:

A Câmara deve, em conjunto com a Segurança Social, avaliar a situação e arranjar realojamento para a situação da casa do Sr Laudalino Silva.
A Câmara deve dialogar com o Governo (Secretaria da Habitação e Secretaria do Ambiente) para resolver o problema.
A Câmara deve mostrar-se interessada pelos problemas das pessoas afectadas pelas cheias.

Se o anómino deseja saber unicamente a lei, não se importa com o "espírito da lei" nem com os deveres morais e de solidariedade, aqui tem:


Competências da Câmara Municipal
Lei n.º 169/99 de 18-09-1999
Artigo 64, ponto 5, alínea c
Ordenar, precedendo vistoria, a demolição total ou parcial ou a beneficiação de
construções que ameacem ruína ou constituam perigo para a saúde ou segurança das
pessoas;

Da mesma lei, no ponto 4, alínea c.
Participar na prestação de serviços a estratos sociais desfavorecidos ou dependentes,
em parceria com as entidades competentes da administração central, e prestar apoio aos
referidos estratos sociais, pelos meios adequados e nas condições constantes de
regulamento municipal;

De tudo o que escrevi diga-me o que tem feito a Câmara?
Por favor não responda simplesmente que foi ao local um técnico da Câmara, porque estou farto de ver técnicos da Câmara nos locais e depois não se faz nada.
Por favor, não me responda que estão a ser feitos estudos, porque deviam ter sido feitos à séculos e entretanto temos o Sr. Laudalino e família a morar numa casa em ruínas.

Haja consciência! Saiam dos gabinetes e façam qualquer coisa, seus palermas!

Devo concordar com o que o caro anónimo informado escreveu. Tem toda a razão!!!

Gostaria também de salutar o José Domingos e família, actualmente a explorar o Emigrante em São Brás, pela qualidade do serviço prestado neste espaço. Desde as questões de higiene, passando pela qualidade da comida e finalizando no atendimento, de facto, mais um bom serviço para a nossa comunidade. Aconselho uma visita...

Não podia deixar de criticar a Casa do Povo do Porto Formoso, como já vem sendo hábito, de há uns anos para cá. Não sei se repararam, mas a empresa/organização "Parque Temático da Maia" em conjunto com a Santa Casa da Misericórdia têm vindo a organizar algumas actividades no Porto Formoso, nomeadamente, por exemplo, às quintas-feiras as crianças tem oportunidade de estar num espaço de convívio didáctico e pedagógico após as aulas a desenhar... entre outros. Reparem, eu acho isto muito positivo, mas não posso deixar de pensar onde anda a NOSSa casa do povo? Na direcção da Santa casa. De forma indirecta, o Laudalino está a tentar compensar o que não fez na Casa do povo através de outra organização.

Eu já aqui disse que achava melhor fazermos parte da Maia. Digo ou não digo bem?

Está na altura de o Laudalino, publicamente, por o seu lugar há disposição por melhor que sejam as suas intenções!!!

Caro Cavalete, que grupos se conseguem manter organizados no Porto Formoso? De jovens, folclórico, coral e... epá...ah... Grupos de outros jovens, sentados ou em pé, ao pé dos cafés! Certo!!!
Portanto, ou quem aqui escreve dá a cara ou as poucas pessoas que constituem estes grupos farão as constituição de outros, nomeadamente os políticos. E pronto acabou!!! Não tenham ilusões...

Caros Bloggers
Constata-se que o Sr. Vereador Jaime Rita, ausenta-se da ilha todas as vezes que há reunião de Assembleia Municipal.
Será que tem medo de ser confrontado pelos Membros da Assembleia sobre a sua actuação???
Ou não tem capacidade para responder???
Não se esqueçam que é este Senhor que na Câmara tem o pelouro da Protecção Civil, parque de máquinas, trabalhadores, águas, etc.
Vamos ver se na próxima, depois deste recado, ele se digna a aparecer.

Um bem haja

O QUE FAZ FALTA, de Zeca Afonso





Quando a corja topa da janela
O que faz falta
Quando o po que comes sabe a merda
O que faz falta
O que faz falta é avisar a malta
O que faz falta
O que faz falta é avisar a malta
O que faz falta

Quando nunca a noite foi dormida
O que faz falta
Quando a raiva nunca foi vencida
O que faz falta
O que faz falta é animar a malta
O que faz falta
O que faz falta é acordar a malta
O que faz falta

Quando nunca a infância teve infância
O que faz falta
Quando sabes que vai haver dana
O que faz falta
O que faz falta é animar a malta
O que faz falta
O que faz falta é empurrar a malta
O que faz falta

Quando um cão te morde a canela
O que faz falta
Quando a esquina ha sempre uma cabeça
O que faz falta
O que faz falta é animar a malta
O que faz falta
O que faz falta é empurrar a malta
O que faz falta

Quando um homem dorme na valeta
O que faz falta
Quando dizem que isto é tudo treta
O que faz falta
O que faz falta é agitar a malta
O que faz falta
O que faz falta é libertar a malta
O que faz falta

Se o patrão não vai com duas loas
O que faz falta
Se o fascista conspira na sombra
O que faz falta
O que faz falta é avisar a malta
O que faz falta
O que faz falta dar poder a malta
O que faz falta

A rua, realmente está muito mudada.
A minha mãe, em especial, gostou muito de recordar esta foto. A primeira casa do Ramal, casa do meu avô, onde ela passou toda a sua infância!

Agradeço ao regedor mais esta recordação!
Bem haja.

Gracinha

Realmente, passados mais de 40 anos, era de estranhar se a rua estivesse igual, porém , se dermos cor à foto, vamos reparar que nao está assim tão diferente. Poderá ser exagero!
Em relação aos estudos de impacto ambiental serem morosos, lanço a questão: o que acham do impacto ambiental que houve naquela casa dos moinhos. Aposto que a Natureza nao estudou assim tanto!
Deixem-se de demagogias, para nao ser outro nome, e façam por merecer concideração. A politica é um flagelo!
Um abraço. José Braga Furtado.

Caro anónimo informado. Tudo o que você disse, a CMRG fez e/ou está a fazer "...em parceria com as entidades competentes da administração central...". Quanto ao realojamento da família, já não está tão informado, porque é mesmo só o Sr. Laudalino. Relativamente, ao Sr. continuar a permanecer na sua casa, aquando da vistoria da concernente habitação, o Sr. Laudalino e a sua sobrinha, disseram que não havia problema com o alojamento temporário na casa da sobrinha. Mais, existe um documento assinado pelo Sr. Laudalino, que ele responsabiliza-se pela sua presença na casa. Conclusão, se foi tudo bem conversado, se as entidades estão a acompanhar o Sr. Laudalino, se as coisas vão no bom caminho, para quê este alarido todo outra vez? Abraço a todos. PS: Se dos 300 e tal funcionários camarários existem palermas, devem ser seus familiares...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

A revista SÁBADO desta semana tem um caderno com sugestões para o período de férias, na altura da Páscoa.
Na parte que se refere a S.Miguel, aconselha uma viagem pela Costa Norte.... COM VISITA AO PORTO FORMOSO....

Sem publicidade política se faz favor!

Calma, meus senhores anónimos.

Não queres tomar um chá de alecrim para te afastar os males…perguntava uma senhora.

Decorreu ontem como aqui foi divulgado a III Prova de Chás e Concurso de Pudins de Chá.
Os pudins foram avaliados pelo júri segundo os seguintes parâmetros:
- Sabor;
- Aroma;
- Cor;
-Aspecto.
Com inúmeras participações, e tendo o chá como ingrediente obrigatório. Excelente forma de promover o património gastronómico da zona oriental do Concelho. Saíram vencedores os seguintes concorrentes:
1º Casa do Pasto o “Amaral”, Porto Formoso.
2º Centro de Idosos da Santa Casa da Maia.
3º O Sagitário.

Com um forte abraço.

Parabéns ao José Domingos pelo trabalho feito no seu restaurante.
De várias pessoas que já lá foram tenho ouvido maravilhas do atendimento, da comida e do preço!
De menos bom, apenas ouvi falar dos poucos vinhos disponíveis.

Nada que eu não estivesse à espera, pois comi vários majares feitos pelo José Domingos.
Só é pena não ficar localizado no Porto Formoso.

Agora só falta eu lá ir.

Cumprimentos

Os romeiros da vossa freguesia sairam ontem em romaria.

Depois de ter pago uma pipa de massa a um arquitecto a Camara da Ribeira Grande está agora a colocar uns tijóis na rua Direita daquela cidade, por cima da calçada.
Há dinheiro para esta política de fachada, mas continua a faltar para os cuidados primários no Porto Formoso

De blog em blog...

Ora aqui esta a foto da matanca de porco, inicialmente publicada na Casa da Mosca, agora colocada noutro blog... a Casa da Mosca e um "verdadeiro arquivo de memorias"...

http://sharkassimetrico.blogspot.com/2007/03/matana-do-porco.html

ola pessoal!
adoro este blog,marrica terra!
minha gente tanto que gostavam do nosso querido presidente e agora é só falar mal:(
vamos lá a apoiar!
heheheh

A culpa nem sempre é da humidade!

Ramal significa, ramificação ou derivação. Logo esta rua nasceu a partir de um eixo principal, a rua direita ou caminho do concelho, por onde passava todo o movimento, de e para o Porto Formoso.
Na foto o mais marcante, como referiu o Regedor é as casas geminadas, com uma porta e duas janelas, o protótipo da casa rural micaelense. A titulo de exemplo, quando se comprava um Marão na “praça” para engorda. O suíno tinha a honra de entrar em casa pela porta principal.
Hoje felizmente, todas estas casas foram alvo de obras de beneficiação, algumas até já tem dois pisos, mas todas com maior conforto e habitabilidade.
Mas a grande diferença da foto está no piso de terra batida e no diâmetro dos plátanos. Talvez no banco tosco, estrategicamente posicionado para os velhotes verem ambos os lados da curva.

A diferença deste Post e deste Blog está no comentário da Gracinha, que carinhosamente identificou a casa do avô, onde a mãe tinha sido criada.
Logo vejamos como são Ridículos Comentários do Género:

“numa região vulcânica, onde existem solos vulcânicos muito fáceis de serem erodidos, com sismos, as pessoas vivem dentro dos leitos de ribeiras, etc. E isto já há bué de anos. Desde o povoamento, não só no Porto mas em todos os Açores, acontece o mesmo. Atendendo a todos os riscos a que o porto está sujeito, a solução mais eficaz seria a emigração de toda a população da vossa freguesia”.

Qual destas casas está no leito da Ribeira, leito normal ou leito de cheia?

Qual destes moradores estaria disposto a viver num T2, nos arrabaldes de Ponta Delgada, de acordo com esta solução de despovoamento?

No Porto Formoso, somos exigentes, gostamos de saber. Quando não somos parentes, conhecemos o nome ou sabemos o “aplido”.

Saudações Formosas!

Sr. JAGPacheco, o que tem a ver o "rabo com as calças"? Este pedaço de comentário foi colocado noutras circunstâncias, sobre outros assuntos, que não se pode aplicar neste post, onde os riscos de enxurradas e movimentos de massa não são tão elevados como nas zonas implicadas nos outros posts. Quando disse que" ...a solução mais eficaz seria a emigração de toda a população de Porto Formoso". Toda a gente percebe que isto não passou de ironia. Pelo menos acho eu... Tecnicamente, para suprimir o risco, terá de "remover" ou o perigo ou as vulnerabilidades. No caso concreto, é impossível eliminar o perigo, logo, terá de deslocar as vulnerabilidades. Resumindo, o que queria dizer é que ninguém e nada pára as forças da natureza. Vai haver sempre estes eventos. Se numa zona o maior perigo é as enxurradas, noutro será os movimentos de massa e todas sujeitas ao perigo sismo, porque vivemos numa região sismo/vulcânica. Não há que por culpas a ninguém pelos eventos da natureza. Há que saber ajudar a preveni-los e a remediá-los de uma forma crítica, mas não prejurativa. Cumprimentos a todos. PS: mesmo com estes perigos todos, nem eu gostaria de viver em PD em detrimento do apaziguamento do Porto Formoso.

Vamos dissecar!

“numa região vulcânica, onde existem solos vulcânicos muito fáceis de serem erodidos, com sismos, as pessoas vivem dentro dos leitos de ribeiras, etc. E isto já há bué de anos. Desde o povoamento, não só no Porto mas em todos os Açores, acontece o mesmo. Atendendo a todos os riscos a que o porto está sujeito, a solução mais eficaz seria a emigração de toda a população da vossa freguesia”.

Os solos vulcânicos característicos dos Açores são classificados como Andossolos. Destes solos jovens, podem destacar-se os Andossolos Ferruginosos, que se formam normalmente acima dos 400 m de altitude, sob regimes pluviométricos intensos. Estes solos possuem um “horizonte Placic” que consiste numa camada fina, mais ao menos profunda, totalmente impermeável á água e ás raízes das plantas. Quando a camada de solo acima desta zona impermeável, se encontra saturada pela água das chuvas, estes solos deslizam pela força da gravidade.

Poucos anos após o povoamento a Ribeira Grande, sofreu a sua primeira cheia trágica, com perda de vidas humanas e grande destruição. A zona mais atingida foi a “Cova do Milho” que corresponde ao actual “Jardim do Paraíso”. A história neste caso, dá-nos duas lições, as casas estavam construídas no “Leito de Cheia” daquela ribeira. E por outro lado as enxurradas podem não estar directamente associadas á ocupação do solo (mata, pastagem …) visto na época, estar a ilha praticamente coberta com a sua vegetação original. Na minha opinião terão mais a ver com o regime das chuvas característico dos Açores.

Com ou sem ironias, de uma forma mais ou menos técnica, especificamente sobre uma casa do Porto Formoso ou os Açores em geral. Importa é conhecer bem o objecto a que se está a aplicar as noções de Protecção Civil.

Excelente dissecacao!

Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008



Nada de geito

para mim nao á rua melhor do que a rua do ramal digo isso porque nasci, creci e habito la e o cantinho do sossego

gostei muito dessa foto principalmente de ver a casa dos meus avos a casa do meu avo janeiro que e a primaera e a do meu avo vizinho que e treçeira casa, tambem onde os meus pais passaram a sua infansia e onde eu tambem tive a oportunidade de tambem passar os meus melhores momentos da minha infansia naquela prineira cazinha tao bonita

gostei muito dessa foto principalmente de ver a casa dos meus avos a casa do meu avo janeiro que e a primaera e a do meu avo vizinho que e treçeira casa, tambem onde os meus pais passaram a sua infansia e onde eu tambem tive a oportunidade de tambem passar os meus melhores momentos da minha infansia naquela prineira cazinha tao bonita

Enviar um comentário

Locations of visitors to this page