« Home | Baú das recordações » | VI Festival de Folclore do Porto Formoso » | Democracia no Porto Formoso » | O império reerguido » | Enquanto não chega o Império dos Moinhos... » | Obras da SCUT no Porto Formoso » | Bandeira vermelha » | Arco-íris » | Lixo e água » | Dose tripla »

So merda e outras coisas

Segundo consegui apurar junto de varias fontes, alegadamente durante todo o Verao deste ano os Bombeiros Voluntarios da Ribeira Grande patrocinados pela Empresa Ribeira Grande+ andaram sugar e a transportar a merda, mijo e outras aguas e detritos dos balnearios da Praia dos Moinhos para o esgoto do fim da Rua N. Sra. do Carmo (vulgo Canada do Cemiterio), o qual vai desaguar a vista de todos no canto da Areia do Cabo.
Isto e, a merda dos balnearios da Praia dos Moinhos e esta a ser levada todo o Verao para o mar da Areia do Cabo.

Os dejectos dos balnearios da Praia dos Moinhos nao podem ir parar ao mar pois iam contaminar a agua, portanto, existe uma bomba que suga os dejectos para um deposito subterranteo, localizado junto a entrada da praia. Acontece que o deposito fica cheio e preciso tirar de la a merda e outras porcarias. Assim, segundo fontes, a empresa que gere os balnearios, a Empresa Ribeira Grande+, contrata os servicos dos bombeiros que vao la varias vezes por semana com um camiao esvaziar o deposito e depois descarregam no esgoto da Canada do Cemitrio.

Resultado: o mar no canto da areia do cabo esta escuro, as pedras com uns limos castanhos a esgorregar e a cheirar mal, etc.
Uma vergonha sem paralelo e um crime ambiental.

ps. desculpem o texto sem acentos. Foi escrito num teclado estrangeiro.

Isto é terrivel!

É bom que alguém vá vendo a merda que se está a passar no Porto Formoso e a denuncie.

Este comentário foi removido pelo autor.

Mais uma vez esta Casa presta um bom serviço à Comunidade. A denúncioa aqui feita tem eco no jornal Açoriano Oriental de hoje.

AÇORIANO ORIENTAL (Hoje)

Zona habitacional recebe águas residuais dos Moinhos
Empresa Municipal que gere as zonas balneares garante que ainda esta semana as descargas deixarão de ser feitas junto ao bairro, regressando à ETAR da Maia



Porto Formoso Cheiros nauseabundos têm sido uma constante na Rua Nossa Senhora do Carmo, na freguesia do Porto Formoso, tudo porque as águas residuais da zona da praia dos Moinhos, oriundas dos balneários e das residências vizinhas , têm vindo a ser extraídas da fossa existente naquele local, sendo depois colocadas num sistema de esgotos da referida zona habitacional. “Nos dias em que fazem a descarga o cheiro que fica no ar é deveras insuportável. E com este calor ainda é pior! Nem se consegue parar cá fora”, queixava-se uma das moradoras. “Fez-se uma obra tão grande na praia e ainda há necessidade de trazer para aqui a porcaria?”, questionava outro morador. Confrontado com a situação, o presidente da empresa municipal “Ribeira Grande+”, responsável pela gestão das zonas balneares do concelho, sustenta que “não se pode confundir esse problema com a praia dos Moinhos”. “Existe uma espécie de ‘micro-ETAR’ que foi colocada na zona da praia no ano passado e que já faz um pré-tratamento dos resíduos. Mas, por não haver uma ETAR naquela zona, esse material tem de ser removido”, esclarece Marco Sousa. Segundo explica o dirigente da “Ribeira Grande+”, devido a um problema na ETAR da Maia foi necessário encontrar outro local para a descarga desses resíduos. “O resultado desse primeiro tratamento na fossa da zona da praia tem sido removido com recurso a uma subcontratação da Empresa Municipal, e está a ser colocado, como é prática há já algum tempo, num sistema de esgotos junto a um loteamento”. Não obstante os maus cheiros decorrentes dessa descarga, alguns habitantes da freguesia também contestam o facto dos dejectos acabarem por ir parar ao mar, classificando o cenário como “vergonha sem paralelo” e “crime ambiental”. “O mar no Canto da Areia do Cabo está escuro, as pedras com uns limos castanhos a escorregar e a cheirar mal”, aponta uma denúncia endereçada ao AO. “Esses resíduos são colocados neste sistema de esgotos que, por sua vez, são encaminhados, não directamente para o mar mas sim para um conjunto de fossas sépticas. Não é, por isso, uma descarga directa no mar”, contraria o presidente da “Ribeira Grande +”. “O que vai para essas fossas passa por uma espécie de tratamento natural e o que chega ao mar é uma coisa diminuta”, assegura Marco Sousa. “Já existe inclusive uma prerrogativa da Secretaria Regional do Ambiente e do Mar que aponta que em pequenos lugares não se justifica a construção de estações de tratamento, mas sim a construção de fossas sépticas porque está provado que não trazem grandes problemas ambientais”, acrescenta. Ainda assim, o responsável garante que esta semana já deixarão de ser efectuadas descargas nas imediações da zona habitacional em causa, passando as mesmas a ser recepcionadas na ETAR da Maia. Tarefa que, indica Marco Sousa, “será facilitada com a construção da SCUT, uma vez que vai evitar que o veículo com os detritos passe pelo interior das freguesias até chegar à Maia”. “Evita-se o problema dos maus cheiros porque ao nível ambiental não há aqui nenhuma questão de fundo”, remata. • com video no ao online Resolução do problema anunciada Foi em Junho do ano passado que foi inaugurada a obra de requalificação da Praia dos Moinhos. Na ocasião, o presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, Ricardo Silva, fazia saber: “grande parte do investimento prendeu-se com a resolução, há muito necessária naquela zona balnear do problema do saneamento básico dos balneários e das casas que confinam com a praia”. Refira-se, a propósito, que o projecto em causa contemplou a execução de redes de recolha pluvial, de drenagem de esgotos e de abastecimento de águas. Luísa Couto

ESTAMOS INDIGNADOS

Os esgotos das moradias localizadas na zona envolvente á Praia dos Moinhos, incluindo as casas de banho públicas, foram durante longos anos encaminhados continuamente, directamente e sem qualquer tipo de tratamento para a praia.

Na actualidade, como todos sabem, estes efluentes são concentrados ou bombeados para um depósito do qual devem ser removidos periodicamente. Este depósito nunca poderá ser chamado de Micro ou Super ETAR pois não existe nenhum Tratamento de Aguas Residuais. Pelo contrário forma-se no local aquilo que poderíamos chamar um “caldo de cultura” onde se desenvolvem e multiplicam de uma forma exponencial bactérias como os “coliformes fecais” altamente nocivos para a saúde humana.

Este “Caldo” que liberta um cheiro nauseabundo e incomoda os moradores do bairro de N. Sr. Da Graça foi injectado ao longo de meses!? Não num complexo sistema de esgotos mas numa simples vala de drenagem, de novo sem qualquer tratamento, poucos metros a montante da “Areia do Cabo”.

A Areia do Cabo e a Areia do Meio são zonas balneares tradicionais da população do Porto Formoso que conviveu de perto durante este Verão, com o perigo para a saúde pública, com o atentado ambiental gravíssimo e sobretudo com a desconsideração das autoridades locais.

Nota Mínima para a Junta de freguesia que pela proximidade das populações e situações deveria ter agido no sentido de sanear o problema.

Nota Máxima para o Regedor que corajosamente denunciou mais este atentado na “Casa da Mosca”.

Nota de Humor para a prova de Pesca Desportiva anunciada para 11 de Setembro na Baia do Porto Formoso: JÁ TEM “ENGODO” QUANTO BASTE.

Caros bloggers,
indignação é, realmente, o sentimento que me assola, depois de ter verificado in loco o atentado ambiental da areia do cabo.
Hoje fui ao local e tirei umas fotos.
Quem quiser ver algumas das fotos vá a http://acabarcommeiasverdades.blogspot.com.

Um bem haja a todos

Caros bloggers,
em jeito de resposta a um comentário no post anterior.
Então aqui vai:
Presidente da Junta: Emanuel Janeiro Faria;
Secretário da Junta: João Rodrigues Viana;
Tesoureiro da Junta: Manuel Ponciano Furtado;
Presidente da Assembleia: Carlos Medeiros Teixeira - não aparece nas fimalgens;
Aproveito, ainda, para informar que o José Eduardo Cabral tinha acabado o mandato de Presidente da Junta no quadriénio 1993-1997.
O Dr. Laudalino Moniz está presente e a entregar medalhas na qualidade de Presidente da Casa do Povo.

Um bem haja a todos

Meus senhores,

estepost apenas nao tem uma foto dos senhores a fazerem a descarga da merda (que tao bem fica traduzida pela bonita palavra "residuos") porque estou no estrangeiro e nao pude tirar a fotografia do crime.

A verdade esta perfeitamente traduzida no comentario do JAGPacheco, o qual desmente categoricamente as afirmacoes desavergonhadas do presidente da Empresa Ribeira Grande+, o qual faz-nos passar a todos por tolos.

Um abraco a todos e um elogio ao Acoriano Oriental pela denuncia desta situacao sem precedentes na nossa freguesia!
Cumprimentos

A vergonha está à vista comentar mais para quê?....

As ribeiras uma vergonha o canavial a tomar conta delas. Nem na semana da festa se lembrarem de fazer uma limpeza.

COMENTÁRIOS DA TRETA

1 - O Hi5 - Grupos - Porto Formoso atingiu os 105 associados. Já vinte desapareceram e muitos ocultaram parte da informação que continham.

2 - Estamos na semana da festa de Nossa Senhora da Graça e não há um post sobre a mesma.

O Grupo Folcolórico costuma fazer chegar à Casa da Mosca informações sobre as suas actividades mais importantes. É pena a Comissão de Festas não proceder de maneira semelhante.

3 - A Câmara da Ribeira Grande fitou mais uma vez a freguesia do Porto Formoso. Como é isto possivel se recordarmos as palavras do dr. Ricardo Silva aquando da inauguração dos bálneários, assim como as declarações públicas do administrador da Ribeira Grande Mais sobre o caso da não inscrição para a bandeira azul?

Não há dúvidas. Para esses senhores somos filhos de um deus menor e, por isso, temo-nos de contentar com a sopa dos pobres.

Este comentário foi removido pelo autor.

É sobejamente sabido que a mosca procura a merda! Faz até algum sentido irónico que "a casa da mosca" tenha dado pelo "enojar do cheiro" vindo da Areia do Cabo.
Perante as evidências poucas palavras encontro para exprimir o meu estado de estupefação. Leva-me a pensar que proventura aproveitaram-se do nome daquela zona balnear (Areia do Cabo) para darem cabo dela. Infelizmente, ainda há gente (muita) que tem no cérebro uma espécie de sumidouro, aonde a água que lá se escoa só traz merda. O problema é quando genta dessa ocupa cargos profissionais e muito bem remunerados, cujo resposabilidades abranjem o bem estar dos cidadãos. A Natureza não merece isto, o Porto Formoso também não e os Formosenses muito menos.
Sabendo que é Grande a Ribeira que dá nome à pequena cidade, do maior Município do Norte da ilha, porque não foram depositar, nela, a merda que muitos residentes dessa cidade vão fazer na Praia dos Moinhos.


ps- Que a festa de Nossa Senhora da Graça seja a melhor esperada, que continue a ser para as crianças actuais o mesmo que fora no meu tempo de criança.
Um abraço.

Este comentário foi removido pelo autor.

Tudo bons amigos pela frente, por trás não se matam por que não calha. O presidente da Empresa Ribeira Grande Mais andou a fazer o que agora se sabe e não tem reprimenda??
Havendo gente de tarelo naquela Camara aquele senhor demitia-se ou era despedido. Assim como assim ele fez aquilo tudo com o aval do senhor presidente ou então levou raspanete no gabinete fechado.
A Junta de Freguesia do Porto Formoso o que faz no meio disto tudo? Amouja a cabeça enquanto o Porto Formoso é abandalhado por estes senhores da ribeira grande.

Adeus não posso mais

Com as visitas que faço às praias do Continente, "pergunto-me". mas para que raio é que fizeram aqueles balneários daquela maneira e gastando tanto "Papel".

Enviar um comentário

Locations of visitors to this page