« Home | Isso não é com a gente » | Croquet » | Eco-freguesia ou não? » | Torneio de ténis de mesa » | De regresso ao mar » | Resumos das Festas de N. Sra. da Graça » | I Prova de Pesca Desportiva de N. Sra. da Graca » | Domingo da Sra. da Graca » | So merda e outras coisas » | Baú das recordações »

Eleições Presidenciais 2011


Eleições Presidenciais 2011 - Resultados PORTO FORMOSO

Inscritos 1153

Votantes 347

Cavaco Silva - 168 votos
D.Moura - 3 votos
F. Lopes - 8 votos
José Coelho - 18 votos
Manuel Alegre - 116 votos
Fernando Nobre - 20 votos

Brancos - 8 votos
Nulos - 4 votos

O dado mais importante, que importa reflectir, é o notório afastamento entre as pessoas e os políticos em todo o país e muito acentuadamente no Porto Formoso.
As pessoas julgam que não vale a pena ir votar, que é tudo a mesma coisa.
Na nossa terra, quase ninguém apareceu para votar. Existem 1153 eleitores e foram votar 347 pessoas. Ganhou claramente e com maioria absoluta a abstenção, conseguindo 69,9%.
Assim, o candidato vencedor obteve a preferência de 14,57% do total de inscritos. Incrível.
Ao que chegou a nossa democracia...

As eleições para a Presidência da República dizem pouco aos açorianos, vai daí o facto de haver aqui na Região uma grande abstenção.

O eng. José Sócrates e a máquina eleitoral do PS não se envolveram muito na campanha do dr. Manuel Alegre por várias razões:

- Era um candidato apoiado pelo Bloco de Esquerda que muito tem prejudicado o trabalho do PS no Governo e na Assembleia da República e
- Representa uma ala no PS que vive de teorias e de poucas práticas.

Se o eng. Sócrates quisesse ganhar a Presidência da República teria avançado com um candidato com maior abrangência do eleitorado, como por exemplo o dr. Oliveira Martins ou o dr. Jaime Gama.

Apesar das muitas críticas feitas ao eng. Sócrates ninguém lhe poderá acusar de falta de coragem e estratégia.

Ao facilitar a eleição do Prof. Cavaco Silva, o eng. Sócrates tem uma estratégia, só não sei é qual.

Esperemos para ver o que o futuro nos reserva

PS - Nota positiva e que dá muito de pensar, foi a vitória de José Coelho no Funchal, Machico e Santa Cruz, no arquipélago da Madeira

Estes jovens-adultos que os políticos classificam como geração rasca disseram não a uma presidência da república que gasta dezasseis milhões de euros por anos para fazer não sabemos o quê. Não há dinheiro para aumentar os salários e aumenta-se os impostos e ainda querem que agente vá votar.Fiz bem em ficar em casa porque vejo o futuro muito negro para a minha geração e não quero ser cumplice dessa raça de políticos incompetentes e oportunistas que marginalizam as pessoas sérias que querem levar esta país ao sítio certo.

No Post anterior o Bloger Silva avançou com uma teoria sobre a origem do topónimo MONTE ESCURO, ou seja, suponha que este nome estaria ligado á cor negra da bagacina (cascalho) que constitui o pico.
Tendo em conta que o referido monte se encontra recoberto por uma camada cinzenta de cinzas vulcânicas (tufos) e a ferida que põe a bagacina negra á mostra terá sido aberta já no século XX.
Supôs que este nome antigo se poderia dever ao facto de aquela altitude, serem frequentes nuvens baixas e escuras ou até mesmo densos nevoeiros.

No entanto Gaspar Frutuoso anteriormente a 1591 (ano da sua morte) escrevia em Saudades da Terra, relativamente ao denso arvoredo do planalto do Monte Escuro:
“tão cerrado mato maninho de altíssimo arvoredo de muitos cedros, folhados, faias, louros, e ginjas que ninguém podia lá passar, nem o gado que entrava podia mais sair e ali morria de velho, aproveitando somente os donos algum que, com grande dificuldade, se lhe tornava a vir por si mesmo, que eles não podiam lá entrar para o tirarem; e os que tinham gado cabrum, ainda que o viam andar, não o podiam tomar, nem assinar o seu ferro, por causa da grande espessura do arvoredo daquele mato; e por aquela lagoa (uma grande que ali se formava) ser muito sombria e escura com muitas árvores que a cobriam e o mesmo mato obscuro com a espessura delas se chamou aquela serra e cumeeira “Monte Obscuro”

Um pequeno contributo para o “SOS – MONTE ESCURO”

Era remota a esperança de ver no nome do Presidente da Republica Portuguesa o "adjectivo" - alegre. Portugal é um país demasiado conservador no que diz respeito a estados de espírito. E por mais que viesse um Defensor defender (passe a redundância) que Portugal necessitava de uma mundança, e que para a tornar real fosse necessário praticar actos Nobres, nada disso foi alcançado. Enfim, pior do que não votar é votar na pessoa errada e pior do que comer Cavaco é ser comido por ele!
Um Abraço.

Como compreendo estas tuas palavras...

LOTEAMENTO DO PORTO FORMOSO

O Governo Regional irá elaborar este ano um projecto para mais loteamentos na nossa freguesia.

Discordo deste tipo de política que impõe às pessoas um determinado tipo de moradias. Basta irmos ao Porto Formoso e verificamos uma grande quantidade de casas iguais, onde não conta a vontade do seu proprietário, mas sim a imposição da entidade que apoia a sua construção. Tal modelo faz lembrar a ex-URSS.

Melhor seria que o Governo Regional apoiasse as pessoas no sentido de adquirirem casas em segunda mão e as recuperassem. Com essa medida conseguiríamos melhorar o nosso parque habitacional que se encontra muito degradado.

porto formoso vai ter mais uma festa sao pedro esta de volta e vai ser nos bairos novos vamos a isto porto formoso vamos todos ajudar

Este comentário foi removido pelo autor.

Este comentário foi removido pelo autor.

A Comunidade Cristã celebra hoje o IV Domingo do Tempo Comum.

Tal facto não merecia qualquer reparo se a leitura do Evangelho de hoje não fosse AS BEM-AVENTURANÇAS. É um texto, que tanto hoje como no passado,indica um caminho a seguir pelas nossas famílias, assim houvesse a coragem de assumir a diferença por parte daqueles que receberam uma formação cristã.

Ainda hoje recordo as duas catequistas que tive - Uma ainda vive no Porto Formoso, e já é avó, e outra está a morar noutra localidade da nossa ilha.

Será que hoje a nossa sociedade, voluída e dia cristã,sabe quantos são os Mandamentos e as Bem-Aventuranças?

Vivemos numa sociedade sem os conhecimentos básicos da vida espiritual e sem a educação adequada, fazendo do diálogo a confrontação, caminhando para um futuro incerto que poderá ser a escravidão do poder económico.

O maior desafio do ser humano, neste mundo, é buscar-se, conhecer-se e encontrar-se. Quanto mais conhecemos a sociedade em que vivemos mais notamos que a mesma sofre de doença crónica que se traduz na ingratidão, que despreza e apedreja quem a quer proteger.

O desenvolvimento sócio cultural do Porto Formoso deverá ser sempre analisado no contexto da região, da ilha e do concelho onde está inserido. Neste particular, o Porto Formoso tem a agravante de se incluir na zona Este do concelho da Ribeira Grande, cujas freguesias quase sempre, foram esquecidas e marginalizadas. Vamos tentar elencar algumas datas (indicadores) da evolução do Porto Formoso, ao longo do século XX.

“1903”
Criação da 1º Escola Oficial para o sexo feminino
Data de 1874 a primeira Escola Oficial para o sexo masculino na freguesia. Contudo anteriormente a 1874 já funcionava uma escola pública no Porto Formoso.

“1950”
As escolas do Porto Formoso são instaladas em dois edifícios do Plano dos Centenários.
O ajardinamento da Rocha data de 1948 (conforme inscrição), tal como a construção da Ermida do Cemitério, no ano seguinte 1949 é inaugurado o relógio da torre.

“1959”
É instalada a rede de abastecimento público de água no Porto Formoso.
Já existiam fontes públicas nesta freguesia que beneficia duma grande abundância de água, disponível nas suas nascentes.

“1975”
Abastecimento de energia eléctrica e inauguração da iluminação pública do Porto Formoso
Os candeeiros a petróleo e os “pétromax”, iluminaram o Porto Formoso até ao último quartel do século XX, será porventura o maior paradigma do nosso atraso.


Não foi incluído neste elenco o “bota abaixo” da lancha do Sr. José de Lima, por eventual falta de rigor na data (existe uma fotografia do evento). Foi o primeiro barco a motor do Porto Formoso e a partir dai os remos e o auxílio da vela, tiveram os seus dias contados.

Naturalmente não se devem esquecer os dois acontecimentos que de forma e intensidade diferente terão influenciado social e culturalmente a freguesia. A presença dos militares aquartelados no Porto Formoso, aquando da Segunda Guerra Mundial e o grande êxodo que representou a emigração para o Canada e Estados Unidos, do final da década de 50 até ao início da década de 70.

Do século XXI e sem o distanciamento suficiente para se perceber a importância destas das Obras para o Porto Formoso. Poderíamos destacar as Obras do Porto de Pescas e as Obras das SCUTs, com todas as suas polémicas ambientais associadas. Mas no presente século a próxima Data com relevância será, sem dúvida, a chegada do cabo de fibra óptica ao Porto Formoso.

"Bota Abaixo"

A lancha em 1960 estava a ser construída no estaleiro, do Forno da Cal, pelo mestre Manuel Cazinha. Se foi lançada ao mar neste ano ou no seguinte? . Foi por ai perto.

Já que se falou aqui em Electricidade, convém registar que houve iluminação mais cedo no Porto Formoso, por iniciativa particular.

O sr. Amâncio Machado Faria e Maia tinha electicidade na sua fábrica através de gerador a gasóleo.

A D. Margarida Jácome Correia também produziu energia eléctrica para alimentar sua fábrica de rações, na zona do Monte Escuro. Foi esta senhora que introduziu no Porto Formoso o método de silagem quando alugou à Família do José do Canto os terrenos da Ponte.

Já no início da década de setenta a Igreja possuia um gerador qui liminava algumas casas, naquela zona

Nota:- A igreja do Porto formoso, já nos anos cinquenta, tinha gerador eléctrico, de pequena potência, para a iluminação interna desta, tendo sido feita a instalação pelo mestre Sampaio, de Ponta Delgada. Por havaria do gerador, foi esta mais tarde, substituída por luz a gaz..Pela mesma altura também a família Manuel da Ponte instalou, um gerador, que foi instalado na residência sazonal, no Porto Formoso, mais moderno que só bastava ligar um interruptor o mesmo arrancava e ao desligar, o mesmo parava. Sendo o seu instalador o Mestre Sampaio. E já nos, príncipios do século passado, ano(?)Foi instalado um aerogerador na residência do Sr Raposo"Hoje, residência do avô paterno, do nosso Regedor", que carregava uma bateria e dava luz à sua residência e loja da qual era proprietário.

O abastecimento público de energia eléctrica ao Porto Formoso em 1975. Terá sido uma das faces mais visíveis da revolução de Abril no Porto Formoso. A chegada da electricidade com a colaboração dos militares, (na época do MFA) foi motivo de grande satisfação para toda a população. Os soldados abriam as covas para colocação dos postes eléctricos, á pá e picareta, enquanto a população de uma forma generosa se organizava por ruas para lhes oferecer uns merecidos almoços.

Julgo que no elenco das energias pioneiras do Porto Formoso, faltará acrescentar os frigoríficos a petróleo que produziam gelados muito bons para a época. Os Impérios do Espírito Santo também tinham o fascínio da sua iluminação, com recurso ao aluguer de geradores normalmente accionados pela tomada de força de um tractor.
Por falar em impérios, o “Império de São Pedro” recorre no presente fim-de-semana a um peditório para angariar apoios, afim de organizar sua primeira festa, programada para o início do Verão, nos “bairros novos” do Porto Formoso.

apois a habitaçao degradada abrangem mais 400 familias no conçelho da ribeira grande mais uma vez o porto formoso fica de fora o que faz a nossa junta a dormir na forma

Se há algo que a Junta de Freguesia tem feito é apoiar a habitação no Porto Formoso, como é o caso do loteamento da R. N. S. do Carmo, contudo, devíamos partir para o apoio à habitação degradada.
Caso contrário as ruas do Porto Formoso ficaram cheias de casas velhas, desabitadas, enfim... devolutas.

Cumprimentos

errata: "ficarão" em vez de "ficaram".

Enviar um comentário

Locations of visitors to this page