« Home | Invasão » | Três momentos altos » | Pormenores » | Festas de N. Sra. da Graça 2007 » | Regresso de férias » | Levantar pó » | III Festival de Folclore » | CEM MIL » | Acordar » | Agenda para o fim de semana »

Primórdios do futebol

De pé da esquerda para a direita: Zeca Aguiar, Ferreiro, José Manuel Grilo, Bita (?), Manuel Rodrigues e Frade.
Em baixo da esq. para a dir.: António Gil, Laudalino Viana, Messias Teixeira, José Rodrigues e Manuel Mendonça.

Já aqui n´A Casa da Mosca foram publicas algumas fotos de antigas equipas de futebol do Grupo de Futebol Desportivo do Porto Formoso. Nas fotos já publicadas era possível observar o melhor período da história do nosso futebol, no final dos anos 70 e depois a chegada do Sir Ted Smith como treinador.
Esta foto, contudo, foi retirada do baú das recordações, antes do futebol atingir o auge. Aqui as botas eram do sapateiro e ninguém sabe se as camisolas tinham número.
Neste tempo para jogar futebol era necessário fazer sacrifícios pessoais e estes homens faziam-no... em nome da bola!

Os jovens desta altura jogavam futebol na Ponte do José do Canto, nas terras de onde havia saído o trigo e o milho. Não havia campo de futebol, andava-se com a casa às costas.

Aos Domingos, principalmente no Verão, havia sempre jogos entre o Outeiro e os Calços. Quando se ia jogar fora da freguesia, como é o caso desta fotografia, a equipa era reforçada com pessoal da Ribeira Grande, oriundo do Benfica Águia. Nesta altura o campeonato regional estava parado e bastava a amizade entre as pessoas, acrescida da oferta do transporte e de um lanche, para que estes atletas vestissem a camisola do Porto Formoso.

O equipamento da altura era à Belenenses - Camisola azul, com a gola branca e calções também azuis.

E as botas?? Eram arranjadas pelo António da Cidade, hoje a viver em Toronto, que trazia para o Porto Formoso os restos do Micaelense Futebol Clube. Quanto às sapatilhas com que a maioria dos atletas jogava na Ponte ao Domingo, eram arranjadas pelo 1ª sargente Arruda no BI 18.

Sinais dos tempos. Naquela altura não havia instalações desportivas, mas havias praticantes. Hoje é o que se vê.

Muito mal vai uma sociedade onde não se pratica o desporto

A placa de S. Braz já foi retirada, permanecendo no local apenas a haste que a suportava.

Aceitam-se apostas para saber quem a retirou...

à duas semanas escrevi isto:

Ontem à tarde bebendo uma cerveja fresca juntamente com umas conversas percebi que o sinal vai ser tirado dali mas vai ser mais daqui a dias que é para ninguem pensar que foi por causa da Casa da Mosca.
Esta conversa é para bons entendedores.

Adeus

Colocado por deus2deus | 2/10/07 22:49


Se tiraram o sinal, a pessoa que me disse que o sinal ia ser tirado mais tarde para ninguem pensar que era devido à casa da mosca e aos comentadores tinha toda a razão. Bruxo!

Adeus

Nem mais, excelentes recordações!

O gosto, seja ele de natureza qualquer, desportiva, cultural, recreativa, ou profissional. Supera por vezes as dificuldades ou limitações, que neste caso particular, tem haver com a época em que se praticava a modalidade.
O facto de não haver “caneleiras”, não era impeditivo de praticar a modalidade!
Hoje, já existe um campo, balneários, equipamentos, mas infelizmente não existe equipa de futebol!
Se calhar o que falta é recursos humanos, que saibam orientar uma equipa, fazendo-se respeitar!!! Porque jogadores, alguns dos quais com qualidade, felizmente existem!
Mas antigamente jogavam e não era preciso nada disto!?
Havia respeito mútuo!
A chave do sucesso passa pela organização!

O futebol, desporto rei, é também praticado por elementos do sexo feminino!
No Porto Formoso, existe uma jovem, que se desloca duas vezes por semana a Ponta Delgada, para ir treinar com as restantes colegas de equipa!
Sara Melo Furtado joga na equipa feminina do Clube Desportivo Santa Clara. Ocupa a posição de extrema-direita, sendo titular indiscutível da sua equipa.
Numa recente viagem ao Continente, jogaram com duas equipas da Primeira Divisão, perdendo com as campeãs nacionais, o Boavista, triunfando o último jogo realizado.

Á jovem Sara, desejo muitas felicidades, e que continue a ter uma boa prática desportiva!

Com um forte abraço.

Excelente conentario do blogger sono1!Não sei é porque não utilizas o teu nome, uma vez os teus comentários sao tao construtivos.

Os nossa comunidade de emigrantes da cidade de Montreal prepara-se para, mais uma vez, promover um grande convívio.

Este encontro vai ter lugar no próximo fim de semana, com a ida do padre João Furtado ao Canada.

No dia 20 à tarde haverá uma celebração na Igreja de Santa Cruz, seguida de uma convívio.

No dia seguinte, portanto no Domingo, o padre João Furtado irá celebrar missa às 12 hrs na Igreja de São Vicente Ferrero.

Parabéns aos nossos conterrâneos pelo dinamismo que colocam nas suas organizações, constuindo um verdadeiro exemplo para os que cá ficaram.

O padre João regressará a S. Miguel no dia 23.

Quando chega aqui um blogger que diz que está tudo muito mal no Porto Formoso, que está tudo uma desgraça, e depois, no final, apresenta como comprovativos dessa "desgraça" o funcionário da Junta de Freguesia e as lombas, percebemos todos que esse blogger apenas tenta atacar a Junta de Freguesia, porque se quisesse ser realmente justo tinha de falar nas não-obras da Casa do Povo, Centro Multiusos, Praia dos Moinhos, etc.

Isso sim são problemas a resolver!

Cumprimentos

Não falei nesses temas, porque são temas tão debatidos que nem há mais a dizer. sei que são obras que irão levar uma eternidade, talvez por falta de apoios, não sei, mas sei que "grão a grão enche a galinha o papo". mas a minha grande preocupação é os desmiolados que andam a altas velocidades no Porto Formoso, e que não respeitam nada nem ninguém, especialmente na hora das crianças irem para a escola, se fossem, ou se são pais, acho que isto é preocupante, e umas lombas talvez atenuasse este problema. Não quero atingir ninguém, sou simplesmente "surrateira" e observo os pequenos problemas, que dão origem a graves problemas.

Realmente ainda não percebi a posição final da junta sobre as lombas. Afinal, teremos ou não lombas? Acho que estas já deveriam ter sido colocadas há vários anos!

Caro blogger anónimo e Cavalete,

a questão da velocidade a que se conduz dentro da freguesia também me preocupa, tal como, o facto de alguns condutores andarem de musica altíssima às tantas da manhã a passarem no seu carro pelas nossas pacatas ruas e canadas.

Voltando à questão das lombas.

Pelo que me disseram todos concordam com as lombas. O que se passa é que ninguém quer as lombas à frente de sua casa!
Dizem alguns moradores que os autocarros e camiões pesados ao passarem sobre as lombas vão provocar "rachadelas" nas casas antigas.

Como resolver esta situação?

ps. mais um dado, neste caso alheio ao Porto Formoso, para a discusão sobre as lombas: foram retiradas as lombas em frente à escola primária de São Brás.

Cumprimentos

Isto é mesmo má fé, poix não vejo como é que vai provocar rachedelas, uma vez que vão ter de reduzir a velocidade a passar por cima das lombas, mas enfim o Porto Formoso é mesmo assim, preferem ver a desgraça na casa dos outros, porque quando alguma crinça for atropelada, vai respingar para muitos lados.

Uma coisa é certa: as ruas do Porto Formoso não foram construídas para o actual nível de circulação de carros. Em muitas zonas os passeios são demasiado estreitos ou simplesmente não existem e existe um perigo real de atropelamento de crianças e adultos.

Não conheço uma tradição de controlo da velocidade dentro da freguesia por parte da polícia. Só muito esporadicamente a polícia concede multas por mal estacionamento.

Tem que ser implementado um sistema de redução de velocidade dentro da frequesia. A solução mais barata passa pela colocação de lombas. Mas há lombas e lombas! As que estavam em frente à escola de S. Brás não me parecem ser as melhores. Existem outras lombas e outras formas de colocar lombas. Existe um sistema em que elas são mais baixas mas aparecem com maior frequência.

Enfim, o que não faltam são lombas por esta Europa fora. O argumento de que elas causam "rachadelas" não se pode sobrepor ao perigo eminente de um atropelamento. Compete a quem de direito resolver o problema da velocidade excessiva e não recuar face às queixas de meia dúzia de pessoas. O INTERESSE INDIVIDUAL NÂO SE PODE SOBREPOR AO INTERESSE COLECTIVO.

É triste constatar que no Porto Formoso para "destruir" (como o caso da placa de S. Brás) foram rápidos, agora quando se trata de "construir" algo benéfico para a freguesia ninguém se mexe...

Cumprimentos

"O interesse individual nao se pode sobrepor ao interesse colectivo" muito bem dito, mas secalhar moras longe dos sitios onde irão ser colocadas as tais Lombas, porque raxadelas nas paredes da nossa casa custa ainda por cima se formos nós a pagá-las, sim porque nem todos temos a sorte de termos amigos no Governo, ou mesmo a sorte de termos casas de graça.
Penso que a melhor solução será a colocação de Radares de Velocidade, é mais "fashion" afinal quem teria de pagar este investimento é os " Aceleras ".
Cumprimentos

Pois bem depois de ler tantos comentarios sou de acordo com o "fashion".
Sabemos que o equipamento não é nada barato,mas, com a velocidade a que se anda nesta freguesia,1 Mês apenas bastaria para fazer face ás despesas.
Preocupo-me de certa forma,porque está em risco a segurança da nossa população.
Será que só se vai por mãos á obra após acompanhar mos alguém que não se sabe quem ao cemitério santo?
Pois recordo me perfeitamente da rotunda de santa bárbara e das ultimas imagens que vi do embate dos carros,pois,foi preciso morrerem 3 pessoas naquele local para se por mãos á obra.
Enfim é como alguem aqui disse,ninguém neste porto formoso se preocupa com nada ,é cada um nas suas casas e os problemas,o presidente que resolva.....
pois temos que fazer frente aos problemas caso contrario,depois"horam lágrimas de sangue".

caros colegas comentadores, gostava de dar os meus cumprimentos à pessoa que criou este blog e que periodicamente poe a par os habitantes desdta vbela terra que é porto formoso....primo em saber que o projecto tenha avançado mais um pouco no papel espero que um dia passe para a acção, embora ache que isso só vai acontecer quando já for velhinha... visto que a burocracia deste pais está na "mesma como a lesma", e nao tem prespectivas de mudar.
quanto às pessoas que em comentarios anteriores referem que o porto formoso nao tem capacidade nem para criar infrastruturas nem para criar associações socioculturais.... o que tenho visto é que estas pessoaa que falam são as mesmas que nao mexem uma palha para que estes objectivos se concretizem...
vejo ainda que as poucas associações socioculturais que existem no porto formoso são fundadas e mantidas sempre pelas mesmas pessoas...
gostava que os bloguers que criticam muitas das actuações das pessoas que dinamizam a freguesia agissem mais e falassem menos...

até a proxima info

Enviar um comentário

Locations of visitors to this page