« Home | RESULTADOS Referendo - Porto Formoso » | Fórum REFERENDO » | Bolsa de Turismo de Lisboa » | Loja ou taberna (do Sebastião) » | Ribeira do Lugar - o que é preciso saber » | Quebrada à beira-mar » | Casa do Povo » | Um pulo atrás » | Boas Festas » | Acontece... »

Merendários!

Merendário das Pedras Brancas

Merendário das Pedras Brancas

Merendário da Casa do Galo


Assim sem ninguém dar por nada, no mês de Dezembro de 2006, a Secretaria Regional da Habitação e Equipamentos, descerrou duas placar a dar nome às nossas "mesas da estrada".


Ficaram com mais dignidade e aprumo estes locais onde no Verão é quase impossível arranjar mesa, porque estão sempre cheios de gente a fazerem as habituais churrascadas e aproveitarem a vista e o ar puro.

Das vezes em que pude usufruir destes espaços quase sempre foi em noites de Verão, com velas e antigos "petromax" a acompanharem a grande folia de uma carne bem grelhada e de uns saborosos chouriços e morcelas caseiros.


Estas pequenas obras que custam quase nada fazem a diferença entre o bonito e o feio e fazem com que as pessoas gostem cada vez mais do Porto Formoso.

Venham mais destas obras! Não custa (€) nada!

Por falar em obras quando começa as obras dos balneários da praia prometidas pelo senhor presidente Ricardo Silva?

Eu fiz campanha pelo Ricardo Silva nas últimas eleiçoes e votei nele estou a começar ficar desiludido. toda a gente que votou Ricardo também está a ficar.

Conheço pessoas proximas do Ricardo Sila que já chamaram a atençao!
Um ano é mais que suficiente para arrumar a casa e o segundo ano para começar a mostrar obra feita!

adeus

Já so falta um Kilómetro para que a estrada entre as Gramas e o Porto Formoso fique toda asfaltada. Se o tempo deixar este trajecto ficará pronto esta semana.
Quando às obras na Praia, devem começar no final do mês de Março.

Constituíu um enorme êxito o passeio organizado pelos AMIGOS DOS AÇORES ao Porto Formoso.

Compareceram junto ao adro da Igreja quarenta e oito pessoas ( Todas de fora da freguesia), que a partir das 10H15M de Sábado percorreram o trilho do Porto Formoso, com uma distância de 4,6 Kms.

No regresso do passeio os participantes entraram na Fábrica de Chá onde foram recebidas pelo José António. Foi oferecida uma visita guiada ao museu e um chá bem quentinho.

Todas as pessoas gostaram.

Aqui vai umas fotos do Porto Formoso que tirei hoje. Ver aqui

Ao passar hoje junto ao Miradouro de Santa Iria verifiquei que a asfaltagem deve ficar pronta hoje.
Espero que no meu regresso ao Porto Formoso já consiga ter uma viagem com uma estada decente.
O MEU CARRO AGRADECE

o meu carro também agradecerá quando o caminho entre o ramal e a estrada nacional estiver pronto. é que transitar numa ribeira talvez traga menos problemas e com certeza tem menos covas

Num dos meus comentários anteriores, alertei para o facto, que quem passa uns metros mais acima deste merendário, encontra um marco para assinalar a batalha da Ladeira da Velha. A quem compete, não custa nada repor uma placa informativa, igual a estas, que demonstra as fotografias, junto da tal pedra pontiaguda.

Estes pequenos gestos, que custam quase nada fazem a diferença entre o bonito e o feio e fazem com que as pessoas gostem cada vez mais do Porto Formoso.

Com um forte abraço.

Aquela pedra foi ali colocada pelos escoteiros do Porto Formoso, na altura liderados pelo José Martins Furtado. Havia na respectiva base uma descrição daquele feito histórico, que os larápios se encarregaram de levar.
A única entidade capaz de colocar ali uma nova placa é a Junta de Freguesia já que dos outros nada se espera.

Durante esta semana, irá ser exibido no telejornal da RTP Açores, uma reportagem sobre o colóquio organizado pelo Grupo de Jovens de Nossa Senhora da Graça, tendo como tema “O surgimento das nossas ilhas”.
Uma pequena entrevista a um dos elementos responsáveis do referido grupo, onde irá ser levantada a questão da TORRE DA IGREJA.
Desta forma esperamos contribuir para a resolução deste problema.

Com um forte abraço.

Tambem será exibido na RTP Açores o porquê de tamta demora do não funcionamento da antena para télemoveis .

Disse o Sr. Aguia que a 15 de Janeiro ficava já a funcionar,talves ele tenha razão

«porque não disse o ano»

Adeus

Foi o grupo de jovens a falar no problema da torre da igreja porque há incompetência daqueles que sabem do que se passa e não informam as pessoas nem fazem nada para resolver o problema.

O minimo dos minimos se houvesse competencia era informar os paroquianos.

Parabéns ao grupo de jovens.
Quando se faz o trabalho dos outros é uma maneira para mostrar que os não fizeram nada.

A junta de freguesia nestas pequenas obras faladas neste post tem de fazer e tem feito porque se for há espera da câmara podem sentar-se num sofá à espera.

Adeus

Caros bloggers,
desde ontem que a estrada está pronta.

O piso que estava em falta ficou finalmente concluído até ao miradouro de Santa Iria...

Agora o que falta é a sinalizaçãp horizontal, visto que conduzir à noite naquele piso é pior que no anterior pois é mais escuro... Não se vê quase nada a não ser com os máximos...

Um bem haja a todos

Im memoriam
Zeca Afonso - o rosto da utopia

José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos faleceu há 20 anos.
Protagonista de uma intervenção política e musical ímpar, converteu-se num símbolo da resistência ao fascismo salazarista. É o autor do tema “Grândola Vila Morena”. A canção faz parte do álbum Cantigas de Maio e foi a senha da revolução dos Cravos que trouxe a liberdade e democracia a Portugal.
Zeca Afonso faleceu há 20 anos mas
a voz de Grândola perdurará para lá de todos os chacais.

Utopia

Cidade
Sem muros nem ameias
Gente igual por dentro
gente igual por fora
Onde a folha da palma
afaga a cantaria
Cidade do homem
Não do lobo mas irmão
Capital da alegria

Braço que dormes
nos braços do rio
Toma o fruto da terra
E teu a ti o deves
lança o teu
desafio

Homem que olhas nos olhos
que não negas
o sorriso a palavra forte e justa
Homem para quem
o nada disto custa
Será que existe
lá para os lados do oriente
Este rio este rumo esta gaivota
Que outro fumo deverei seguir
na minha rota?

In: "Como se fora seu filho", 1983

Este comentário foi removido pelo autor.

Numa visita ao site da autarquia nortenha, noto que já está disponivél, online, o serviço de entrega de leituras do contador de agua, é de louvar.

Posto isto, e de volta ao blog, tudo na mesma, "Aguias" confusas com o seu sexo, e como sempre, desta feita com comentários mais suaves, criticando as outras forças vivas da freguesia.
No entanto, a junta continua sem colocar a pedrinha no monumento de santa iria, certamente nada fez em relação à Torre, nem à antena da TMN ou VOdafone.
Pena é, na era tecnologica que vivemos nao ter a Junta de Freguesia do Porto Formoso, ainda criado a sua propria página na net.

http://www.azoresdigital.com/ler.php?id=8539

Víctor Hugo Forjaz avalia estabilidade geológica de Porto Formoso

e já que as entidades competentes nao publicam nem informam a população, aproveito para informar aos blogers que:

A Lei 7/2007, de 5 de Fevereiro cria o cartão de cidadão e rege a sua emissão, substituição, utilização e cancelamento.

O cartão de cidadão vai englobar:
- Bilhete de Identidade (identificação civil);
- Cartão de Contribuinte (identificação fiscal);
- Cartão de utente do Serviço Nacional de Saúde;
- Cartão da Segurança Social.

Mais informamos, que o cartão de eleitor continua a ser um documento autónomo e, ainda, não incorporado no cartão de cidadão.

Correlacionada com esta temática, temos as seguintes Portarias:
- Portaria 201/2007, de 13 Fevereiro, que regula a localização e as condições de instalação dos serviços de recepção daquele cartão.
Assim, a instalação dos serviços inicia-se (Fevereiro de 2007) na Região Autónoma dos Açores, na ilha do Faial e, progressivamente, no território nacional.
- Portaria 202/2007, de 13 Fevereiro, define os modelos oficiais e exclusivos do cartão de cidadão.
- Portaria 203/2007, de 13 Fevereiro, estabelece o prazo geral de validade do cartão (não pode exceder os 5 anos) e o valor das taxas devidas (pode ir dos 12€ aos 35€; a isenção apenas se verifica na primeira emissão do cartão para menores de 6 anos).

Blogger pregalheefoge
a Junta deve ter uma pagina na internet isso concordo. Esta junta tem feito muito pelas novas tecnologias! Quantas juntas da Ribeirinha ao Nordeste instalaram um Multibanco por sua conta e vao ter um posto publico de internet?

MAs o sr. pensa que a junta tem de fazer tudo na freguesia, não é?. Alguma vez na vida a torre da igreja e a antena da tmn e vodafone são assuntos que a junta tem de resolver?


Tenho uma teoria: podemos falar mal ou bem da Junta porque há obra para falar.
Não há nada para dizer da Casa do Povo ou da Comissão Fabriqueira porque fazem nada vezes nada.

O sr. está sempre a questionar tudo o que a Junta FAZ.

Queria ver questionar o que a comissão fabriqueira e a Casa do Povo NÃO FAZ!

Alguma vez o blogger pregalheefoge pensou em perguntar:
porque o centro mutiussos esta parado há anos?
porque a Casa do Povo está em ruinas?

Eu sei as respostas INCOMPETENCIA

carissimo
nao me leves a mal, mas como anteriormente disse, desconheço a realidade social da vossa freguesia, falo daquilo que leio neste blog e pouco mais, depois disto cada qual expressa o que pensa bem ou mal.
Agora nao me diga que a junta ao notar que a comissao da igreja ou seja lá qual for a instituição responsavel pela torre nada faz para reparar os danos ou futuros riscos que dai advem nao pode contribuir com algum meio para tentar reparar os danos...
Depois veremos o que poderá caber à junta de freguesia fazer ou nao pela freguesia.

já agora poderia me informar qual o plano de actividades da junta para este ano?

Congratulamos com o facto de estar-mos a discutir um assunto de interesse público, pertinente e actual.
Estou em acordo, quando o caro blogger deus2, afirma que a comissão fabriqueira da igreja tem responsabilidades na situação actual da torre da igreja. O que não concordo, quando diz que a junta não tem responsabilidades nesta situação.
Ora vejamos.
A autarquia em caso de cataclismo natural é a principal coordenadora da situação.
Por inerência um presidente de junta é o presidente da protecção civil local.
Alguém tem conhecimento de alguma acção em concreto, por parte do presidente da protecção civil do Porto Formoso, da comissão fabriqueira e do governo regional, para a resolução desta situação após tomarem conhecimento público da mesma?
No verão de 2005, após o abalo mais violento, tiveram cá uns técnicos para fazerem a avaliação dos danos provocados na torre. Na altura a secretaria da habitação e equipamentos, mandou demolir uma casa, nas proximidades da igreja e mandou colocar umas fitas á volta da torre da igreja para vedar o acesso.
Chegamos á conclusão que todos sabem no entanto nenhuma destas entidades (mexe uma palha) para resolver esta situação, que põe em risco as habitações vizinhas, como a segurança das próprias pessoas!

Com um forte abraço.

Isso é tudo uma trêta
o deus2 disse que não tem que ser a junta a fazer tudo, concordo
Mas porque é que a junta de vêz enquando manda uma revista informativa mostrando o que se fez na freguesia «por outras entidades» enganando o povo dizendo ser ela, e ela sem nada fazer
è porque na realidade ela tem responsabilidades,naquilo que se faz ou vai-se fazer na freguesia .

Noticia de capa no Açoriano Oriental de hoje.

Torre da igreja ameaça casas no Porto Formoso.
O alerta surgiu na palestra promovida pelo grupo de jovens de Nossa Senhora da Graça,a 10 de Fevereiro, no Centro Pastoral e Social do Porto Formoso.

Alertado pelo sono1, aqui vai a noticia do AO.

"Torre da Igreja oferece perigo a casas das ruas circundantes
24-02-2007
por paula gouveia

O alerta é do presidente do Observatório Vulcanológico e Geotérmico dos Açores. Victor Hugo Forjaz afirma que a torre tem fendas, está deformada e a escadaria inferior apresenta fortes desalinhamentos

O aspecto imponente da torre da Igreja do Porto Formoso ajuda a esconder problemas estruturais. “A torre tem fendas, está deformada e a escadaria inferior apresenta fortes desalinhamentos”, explica o vulcanólogo Victor Hugo Forjaz.
O edifício oferece perigo, mas a população e as autoridades ignoram o risco. Segundo o especialista, a ameaça pende sobre as habitações vizinhas e as duas vias que circundam a Igreja – ruas que impedidas tornam impossível alcançar zonas de socorro como o campo de futebol, onde pode aterrar um helicóptero.

“Se houver um sismo mais forte do que estes que tem havido, aquela Igreja vai ser um dos primeiros edifícios a cair, podendo provocar danos graves e até mortos, conforme a hora do colapso”, afirma Victor Hugo Forjaz.

“Temos a obrigação moral de chamar a atenção para isso”, refere o cientista. “É necessária uma inspecção à torre por peritos em engenharia sísmica e executar obras de reforço”, alerta o vulcanólogo e geólogo. Segundo Victor Hugo Forjaz, como a torre é em alvenaria antiga e não em betão armado, é preciso instalar tirantes, esticadores e utilizar argamaças modernas. “Há que reforçar toda a estrutura, de maneira a que se aguente na vertical, porque colapsando pode originar danos muito graves em todas as vias e até em casas circundantes”, diz.

O alerta surgiu na palestra, promovida pelo grupo de jovens de Nossa Senhora da Graça, a 10 de Fevereiro, no Centro Pastoral e Social do Porto Formoso. Na ocasião, o presidente do Observatório Vulcanológico e Geotérmico dos Açores afirmou que, além da Igreja, “existe ainda na Freguesia muita casa para reforçar, demolir e reconstruir” e, por outro lado, na orla costeira - “outra zona crítica do Porto Formoso” - devem existir condicionamentos construtivos e ser reforçadas as infraestruturas que já existem no local.

As conclusões partem da sua observação no local, ou não fosse geólogo de fundações, lembra Victor Hugo Forjaz.

Até ao dia da palestra, a informação ainda não fora partilhada e, por essa razão, e porque a obervação da torre ocorreu depois da elaboração do Plano de Emergência da Ribeira Grande, também o instrumento da Protecção Civil, essencial para accionar os meios em situações de perigo para as populações, foi elaborado sem levar em conta esse risco. Ora, sublinha o vulcanólogo, impõe-se agora uma intervenção por parte das autoridades competentes."

Sem dúvida, caro "Regedor". As obras não valem pela sua dimensão, mas sim pela sua beleza, necessidade e oportunidade, para além do facto de servir o público.

Uma das nossas caracteristicas (dizem-me que nos visita) é a proliferação de espaços junto às nossas estradas e que se enchem de míudos e graúdos, num sã convibvio ao ar livre.

Temos natureza e beleza, há que aproveitá-la e tirar dela partido...quando o tempo deixa.

O embelezamento das bermas das estradas (além do piso) tornam as viagens mais aprazivéis, e com locais de descanso e lazer.

Cumprimentos

Enviar um comentário

Locations of visitors to this page